Estudo indica que você terá mais sexo em sua vida se usar mais emojis

Por Rafael Arbulu | 19 de Agosto de 2019 às 11h15
(Imagem: Divulgação/Unicode Consortium)

O flerte chegou ao século XXI e se você não se comunica apropriadamente, prepare-se para ficar para titio: segundo um estudo publicado pelo Kinsey Institute, pessoas que utilizam emojis com maior frequência durante suas conversas online têm maiores chances de fazerem sexo durante seus encontros.

Sim, nós vamos usar o emoji da lua cheia logo abaixo, sem vergonha nenhuma.

Quando você recebe isso do/da crush, já sabe que vem coisa boa... (Imagem: Divulgação/Unicode Consortium)

O estudo entrevistou pouco mais de 5 mil pessoas e concluiu que, em apps com função de mensagem instantânea (inclua aí não apenas o WhatsApp, Facebook Messenger e Telegram; mas também apps de paquera como Tinder, Happn e afins), há uma relação paralelamente proporcional entre o uso de emojis nas conversas e a incidência de segundos encontros e/ou beijos e relações sexuais em qualquer encontro.

A pesquisa não correlaciona o tempo de duração de uma relação com o uso da linguagem de figurinhas e ainda destaca que tudo depende de contextualização dessas imagens (o emoji de lua cheia acima, por exemplo, tem uma conotação mais sem vergonha para nós brasileiros, mas não traz o mesmo significado, digamos nos EUA). Mas no que tange a quantas vezes você vai sair com o seu match, o estudo é enfático: os emojis poderão lhe ajudar a “sacar a rolha”.

"Nós concluímos que o uso de emojis permite às pessoas comunicarem informações importantes de cunho afetivo a parceiros em potencial, o que facilita o sucesso na conexão íntima e mais oportunidades românticas e sexuais”, disse o estudo. “Isso sugere que aqueles que usam emojis, neste contexto, comumente gozam (trocadilho involuntário) de mais oportunidades de relacionamento romântico e/ou sexual”.

Há uma série de limitações ao estudo, porém: os pesquisadores do Kinsey Institute não sabem informar quais emojis dão mais resultado e a sutileza no uso de cada um é bem mais atrelada ao contexto de cada conversa (ou seja: segure a mão nos comentários com emoji de berinjela abaixo, ok?): "Nós não temos como saber completamente quais emojis são mais eficazes na formação de conexões entre as pessoas”.

Vale citar: das pouco mais de 5 mil pessoas entrevistadas, 86.8% se identificaram como heterossexuais e 62.2% se identificaram como Brancos/Caucasianos. Os pesquisadores, porém, não atribuíram a isso nenhuma relação de causalidade na incidência entre mais ou menos relações.

Fonte: Kinsey Institute

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.