É possível mudar a própria personalidade de propósito? Saiba o que a ciência diz

É possível mudar a própria personalidade de propósito? Saiba o que a ciência diz

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 21 de Março de 2022 às 15h45
Rawpixel/Envato

A personalidade muda ao longo do tempo. Isso já está muito claro para a ciência e pode vir de diversos fatores, como o amadurecimento e o acúmulo de experiências. Mas será que poderíamos mudar a personalidade de propósito, se quiséssemos?

Em 2019, um estudo de longo prazo da American Psychological Association avaliou traços de personalidade em 1.795 adolescentes e fez uma nova análise desses mesmos participantes quando chegaram aos 60. Os resultados indicaram uma mudança notável na personalidade de 60% dessas pessoas.

Cientistas também já sugeriram que mudanças específicas de traços de personalidade tendem a ocorrer durante diferentes fases da vida, e as pessoas tendem a se tornar menos neuróticas e mais racionais entre 20 e 40 anos.

No entanto, em um estudo publicado na revista Psychological and Cognitive Sciences, pesquisadores instruíram 1.523 indivíduos a tentar mudar suas personalidades usando um app desenvolvido pela própria equipe de acordo com anteriores pesquisas de psicoterapia, que indicam que uma intervenção eficaz para a mudança de personalidade deve ter motivação, ajuda de entes queridos e o "aumento do repertório comportamental".

O app oferecia “microintervenções”, como vídeos informativos e atividades de autorreflexão. Ao todo, o estudo acompanhou esses participantes por cerca de três meses, e ainda fez uma comparação com um grupo que não contou com a ajuda do app para orientar essa mudança de personalidade. Logo, a conclusão dos cientistas foi que as mudanças de personalidade autorrelatadas foram consideravelmente maiores entre os usuários do app, em comparação com os demais.

Cientistas buscam entender como funciona a mudança de personalidade a curto prazo (Imagem: shiwork/envato)

No fim das contas, é possível mudar a própria personalidade de propósito com uma "pequena ajuda digital", conforme observaram os autores do estudo. Segundo os relatos dos próprios participantes, três meses foram suficientes para torná-los mais extrovertidos, agradáveis ou até mais estáveis ​​emocionalmente, por exemplo.

Mas veja bem: o estudo não tentou mudar a essência da personalidade de alguém, mas sim fazer com que a pessoa reconhecesse um traço que queria melhorar e se empenhar nisso.

Fonte: American Psychological Association (1,2), Psychological and Cognitive Sciences via IFL Science

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.