Oscar amplia prazo de inscrições de filmes e adia data da premiação

Por Rafael Arbulu | 15 de Junho de 2020 às 21h40
Oscar

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, a organização por trás do Oscar, votou nesta segunda-feira (15) duas propostas de peso para o atual calendário da premiação: a primeira e mais evidente é a de ampliar o prazo de eligibilidade dos filmes, para que estes possam ser inscritos na entrega dos prêmios de 2021 até o início do ano que vem. A segunda proposta deriva da primeira, e refere-se a adiar as festividades de entrega do Oscar em oito semanas.

O motivo para tais propostas já é bem óbvio a essa altura: a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) e a sua doença derivativa, COVID-19, trouxeram um amplo impacto na indústria do cinema, adiando estreias de 2020, em alguns casos, apenas para o ano que vem, enquanto outras produções que tinham o chamado “lançamento teatral” (feito em cinemas) programado, acabaram optando por cancelar a ideia e favorecer a disponibilização de filmes via plataformas de streaming.

Oscar 2021: mais filmes inscritos e apresentação adiada? Academia vota resoluções hoje
(Imagem: Divulgação/Academia de Artes e Ciências Cinematográficas)

Ambas foram aceitas pelo conselho da organização, e a entrega dos prêmios ficou para o dia 25 abril de 2021 e os filmes que estrearem até o dia 28 de fevereiro poderão concorrer à 93ª edição. Isso tudo depois de uma decisão já tomada pela organização de abrir mão de uma de suas mais icônicas regras: para a próxima edição do prêmio, filmes não precisarão obrigatoriamente terem saído nos cinemas para serem elegíveis. Outro detalhe a ser analisado pela Academia é a transmissão, já que há quem ainda debata sobre manter-se o tradicionalismo da ocasião e promover uma festa com presença física das pessoas, ou se um novo padrão deve ser adotado em vista da situação pandêmica, priorizando a transmissão via internet.

Originalmente, o Oscar 2021 estava previsto para ser realizado em 28 de fevereiro de 2021, com filmes elegíveis à inscrição da premiação até 31 de dezembro de 2020.

Indústria aos poucos volta aos trabalhos

Enquanto isso, a indústria do cinema luta para se manter em pé frente à pandemia: a reimaginação de Caça-FantasmasGhostbusters: Afterlife —, bem como Viúva Negra e Mulher-Maravilha: 1984 tinham previsão de estreia ao longo do primeiro semestre de 2020, e acabaram adiados para o final do ano (no caso das heroínas da Marvel e DC) ou vão virar o ano com estreia apenas em 2021 (no caso dos Caça-Fantasmas).

Olhando pelo lado bom da coisa, porém, essa situação acabou tirando o foco da indústria dos mesmos players de sempre, permitindo que produções mais modestas subissem aos holofotes, como foi o caso de Destacamento Blood, filme dirigido por Spike Lee que estreou diretamente na Netflix e já conta com campanha popular para a indicação do ator Delroy Lindo (60 Segundos; The Good Fight; Malcolm X). A grosso modo, a situação adversa representa uma oportunidade de mudanças para a Academia, mas resta saber se ela própria estaria disposta a abraçar essa ideia.

Fonte: Collider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.