Siga o @canaltech no instagram

Crítica | WiFi Ralph diverte as crianças e coloca os adultos para refletirem

Por Jessica Pinheiro | 03 de Janeiro de 2019 às 14h13

Passaram-se seis anos desde que Detona Ralph foi lançado e desde então muita coisa mudou. A indústria tecnológica evoluiu, o mercado de videogames cresceu, e esses são apenas alguns exemplos porque a história do mundo engloba muito mais do que essas duas áreas. Mas, mais do que isso, as pessoas também amadureceram e é gratificante ver como isso foi transportado para WiFi Ralph: Quebrando a Internet, a continuação da jornada de Ralph e Vanellope.

A premissa do segundo longa-metragem, inclusive, continua simples, mas traz muitas camadas de reflexão para os adultos, enquanto que certamente deixará as crianças encantadas e entretidas. Tudo começa quando o volante do Corrida Doce, o jogo de Vanellope, se quebra; e como só existe uma réplica no eBay e ela custa caro, o dono do fliperama, o Sr. Litwalk, decide desligar o game da nanica, deixando todos os personagens órfãos.

Todavia, o Sr. Litwalk também acaba instalando internet em sua loja de arcades, então Ralph e Vanellope decidem ir eles mesmos até o eBay para comprar o volante. Eis o primeiro grande ponto positivo do filme, já que a maneira como a internet é representada é muito divertida e intuitiva: uma cidade altamente tecnológica e brilhante, onde as grandes companhias têm seu valor medido pela altura dos prédios – quanto maior, mais poderosa a empresa é, sendo a Google a maior de todas.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Os novos personagens também merecem um destaque, afinal eles também representam conceitos e empresas, a começar pelo Sr. Tudo Sabe, que é a personificação da barra de buscas do navegador. Ele, inclusive, tenta adivinhar o que a pessoa quer pesquisar e começa a sugerir diversos termos e frases para completar o que o usuário quer buscar. É ele quem direciona Ralph e Vanellope até o eBay para que consigam o volante da Corrida Doce.

A premissa de WiFi Ralph é bastante simples, mas a narrativa vai escalando e tomando grandes proporções. (Imagem: Disney)

Há também o Sr. Spamley, que, como o nome sugere, é um spam ambulante, responsável por oferecer uma alternativa para Ralph e Vanellope conseguiram o volante que tanto precisam. É através dele que a dupla chega a Corrida do Caos, um jogo online de corridas muito popular e onde somos apresentados a Shank, a personagem mais popular e habilidosa do game. Por fim, há ainda a ilustre Yesss, o algoritmo responsável pelo BuzzzTube e que sempre segue as tendências (inclusive em seu visual), cuidando para que sua plataforma de vídeos de memes se mantenha sempre em alta entre os usuários.

Como a internet é representada como uma cidade – e o eBay é uma espécie de shopping center – o filme brinca com muitos conceitos, incluindo acontecimentos da modernidade – como é o caso do Ralph tentando se tornar um influenciador. Enquanto isso, Vanellope conhece as Princesas Disney, o que foi, pessoalmente, um dos melhores momentos do longa.

Na realidade, toda a visita da nanica ao Mundo Disney foi mágico, pois há referências em cada frame dessa passagem. E quando ela finalmente fica cara a cara com as princesas, cada fala das garotas é uma autocrítica – desde o que as torna princesas até a maneira como elas tratam umas às outras, com a Merida de Valente sendo uma espécie de ovelha negra entre as meninas.

Até nesse ponto há uma metalinguagem importante, já que as Princesas Disney se portam e se vestem de maneira mais formal e adequada, enquanto que Merida, por ser de outro estúdio originalmente, se comporta de forma mais coloquial, juvenil e rebelde, dialogando mais com os jovens da atualidade do que as demais. Indo mais longe, até mesmo o “momento musical” do filme pode ser considerado uma cutucada do estúdio na fórmula da história das animações mais antigas.

As Princesas Disney - juntamente de Vanellope, a Princesa do Conforto - encenam algumas das melhores cenas do longa-metragem. (Imagem: Disney)

A grande mensagem do filme, por sinal, está intimamente conectada a essa metalinguagem toda, já que todos possuem a capacidade para mudar e se adaptar às circunstâncias. “Deixar ir”, amadurecer e viver uma vida emocional e psicologicamente saudável também podem ser abordagens importantes mostradas nas entrelinhas do filme.

Somado ao quão intuitivo e moderno o longa-metragem é, mostrando como funcionam os algoritmos e o modelo de negócios das grandes empresas e como as pessoas se comportam quando estão navegando, bem como as áreas mais perigosas e problemáticas da internet; temos um filme educativo e divertido para as crianças. Além de ensinar a elas sobre a internet, ele também traz reflexões importantes para os adultos relembrarem e abraçarem.

A única e grande crítica, que foi inclusive uma questão levantada em um bate-papo pós filme na cabine em que o Canaltech esteve presente; foi o foco na internet dos Estados Unidos. Sumariamente, há uma grande ausência de empresas chinesas, por exemplo, o que causa uma carência na forma como a internet mundial é representada. Mesmo que a linguagem usada na dublagem tenha sido bastante moderna e coloquial, com bordões e memes incorporados nos diálogos a todo o instante; faltou mostrar o lado russo, chinês e até brasileiro da internet.

Por sinal, a dublagem conta com Tiago Abravanel como Ralph e MariMoon como Vanellope Von Schweetz novamente. Marco Ribeiro dublou J.P Spamley e Giovanna Lancellotti é a voz de Shank, enquanto que Rafael Cortez retorna como Conserta Felix Jr. O elenco ainda conta com Guilherme Briggs, Eduardo Borgerth, Fábio Lucindo e muitas outras vozes icônicas — as Princesas Disney, inclusive, são todas dubladas por suas dubladoras nacionais clássicas, então as crianças facilmente reconhecerão as vozes.

De toda forma, a tecnologia, bem como o salto entre os videogames de arcades para o mundo online e mobile, estão bem representados no filme. O longa-metragem encanta com a internet sendo mostrada de maneira criativa e intuitiva, tudo isso embalado por mensagens bonitas sobre amizade e as transições e passagens da vida. WiFi Ralph: Quebrando a Internet é certamente um filme que você vai adorar levar seus filhos para assistir quando ele estrear nos cinemas nacionais em 3 de janeiro de 2019. E fique para a cena pós-créditos, vale muito a pena!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.