Será que a realidade não existe e estamos vivendo dentro de uma simulação?

Por Redação | 12.07.2017 às 07:41

Sabe a premissa de Matrix, em que a realidade, na verdade, não existe e é apenas uma simulação criada por computadores? Pois existe muita gente (incluindo cientistas respeitados na comunidade) que acreditam que nós estamos vivendo exatamente em um cenário como esse. No entanto, nada de escolher tomar uma pílula vermelha para ser transportado para o “mundo real”.

Criar uma realidade virtual já é algo que existe em diversos ambientes, como jogos e programas diversos que levam o usuário a um ambiente virtual. E com a chegada das inteligências artificiais, essas simulações ficam cada vez mais intensas. Algo a se pensar: do ponto de vista da IA, ela não saberia que está vivendo em uma simulação, correto? Para ela, aquele ambiente é a realidade. Sendo assim, quem garante que isso já não esteja acontecendo conosco, de alguma maneira bastante bizarra?

Os argumentos

A primeira objeção ao se refletir a respeito disso tudo costuma ser “como poderíamos saber isso, ao certo?”. Bom, diversas teorias filosóficas e científicas já chegaram a argumentar que a realidade que conhecemos é uma ilusão. Quem primeiro trouxe essa ideia foi Nick Bostrom, um filósofo sueco, que explodiu a mente de todo mundo com esse conceito. Segundo ele, “exceto pelo fato de que, em vez de ter cérebros em recipientes alimentados por entradas sensoriais de um simulador, os próprios cérebros também fazem parte da simulação”. O filósofo também disse que “um grande programa de computador poderia simular tudo, incluindo desde cérebros humanos até neurônios e sinapses”.

Depois, surgiram outros pensadores defendendo o argumento, como foi o caso de Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX, bem como do sociólogo francês Jean Baudrillard, que acredita que o universo não seja mais do que uma simulação onde tudo é inanimado, feito a partir de imagens. Musk também chegou a declarar que é possível que sejamos entidades geradas por computador que vivem dentro de uma espécie de videogame de alguma civilização muito avançada.

Supondo que esses seres simulados fossem, ou tivessem se tornado, conscientes, poderíamos entender que nossa mente não pertenceria à raça original, mas sim a pessoas simuladas por descendentes avançados dessa raça. Sendo assim, é válido o argumento que diz que seríamos racionais ao pensar que possivelmente somos uma mente simulada muito mais do que somos mentes biológicas autênticas.

Inception

Portanto, se nossa realidade não passa mesmo de uma simulação extremamente engenhosa e inteligente, isso significaria que tudo ao nosso redor é um software, exatamente como proposto na trilogia Matrix. Contudo, outra questão paira no ar: se essa simulação na qual vivemos for real e realmente bem programada, considerando que até mesmo nós, teoricamente simulados, somos capazes de criar simulações por conta própria, como poderíamos saber exatamente em qual simulação estamos vivendo no momento? Seria um inception de simulações?

Fonte: Dream Humanity