Russos estão estocando iodo após pico de radiação em explosão de área militar

Russos estão estocando iodo após pico de radiação em explosão de área militar

Por Natalie Rosa | 09 de Agosto de 2019 às 23h30
Reprodução

Moradores de duas cidades do norte da Rússia, Arkhangelsk e Severodvinsk, estão estocando iodo, segundo notícias que estão circulando desde a tarde desta sexta-feira (9). O motivo seria a radiação emitida após um acidente misterioso em uma instalação militar de testes, que aconteceu na quinta-feira (8). Com o iodo, os efeitos dessa radiação são amenizados.

Segundo informações do Ministério da Defesa local, duas pessoas morreram e seis ficaram feridas com a explosão de um motor de propulsor líquido de foguete. Mesmo que nenhum elemento químico prejudicial tenha sido liberado na atmosfera, e que não houve aumento nos níveis de radiação, autoridades da cidade vizinha descreveram o incidente como "um breve pico de radiação".

Imagem: Reprodução

De acordo com uma farmácia local, pessoas estão ligando perguntando por iodo o tempo todo, e essa procura vem acontecendo exatamente nas cidades de Arkhangelsk e Severodvinks, deixando os estabelecimentos sem estoque.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Parte da baía Dvina, no Mar Branco, foi interditada pelas autoridades por um mês para navegação, sem explicação do motivo. Segundo um oficial naval, o acidente pode ter acontecido devido à explosão de um foguete em uma instalação de testes no mar, causando o vazamento de um combustível tóxico.

Ainda de acordo com a mídia local, o teste pode ter envolvimento com um novo míssil hipersônico chamado Tsirkon, e a área é usada para testes de armas, como mísseis balísticos e de cruzeiros usados pela Marinha Russa.

Dados do Ministério de Emergências citados pelo Greenpeace revelam que os níveis de radiação ficaram em 20 vezes acima do normal.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.