Raio horizontal mais longo já registrado se estendeu por 500 quilômetros no céu

Por Daniele Cavalcante | 01 de Novembro de 2019 às 08h15
Getty

Quando vemos um raio no céu, geralmente ele desce das nuvens em direção à superfície. Raramente, eles também podem subir da terra para o céu. Mas há outro tipo que poucas vezes notamos: os raios horizontais. Eles acontecem lá no alto e podem percorrer longas distâncias — e este é o caso de um raio observado nos Estados Unidos, que se estendeu por mais de 500 quilômetros e pode ser o recordista histórico.

Tudo aconteceu na madrugada de 22 de outubro de 2017, quando uma série de tempestades se formou à frente de uma frente fria no sudoeste dos EUA. Um raio apareceu à 1h13 da manhã no norte do Texas e se espalhou atravessando o céu de Oklahoma, parando no sudeste do Kansas. O megaflash — como são chamados esses raios quilométricos — chegou a iluminar uma área de 67.845 quilômetros quadrados!

O fenômeno virou notícia nesta semana pois um novo estudo foi publicado pelo Boletim da Sociedade Metereológica Americana, registrando o raio em questão como o recordista. É que os megaflash se estendem normalmente por 100 quilômetros, mas este surpreendeu ao cruzar o céu de três estados norte-americanos. Os relâmpagos verticais têm extensão média de 6 a 10 quilômetros, para termos de comparação.

Raio horizontal (Foto: Barcroft)

Os autores do estudo, liderado por Walter Lyons da FMA Research, chegaram ao resultado após coletarem dados do Mapeador Geoestacionário de Raios (GLM) dos satélites GOES 16 e GOES 17, lançados em 2016 e 2018, respectivamente.

Os cientistas souberam da existência dos raios de mesoescala — relâmpagos com mais de 100 km — na década de 1950, mas foi somente em 1989 que foram descobertos os sprites, que são raios na atmosfera superior, em altitudes de 50 a 90 quilômetros acima da superfície da Terra. Nas condições ideais, esses flashes podem desencadear uma reação em cadeia que se estende por grandes distâncias. Em 2007, cientistas usaram dispositivos de mapeamento 3D para registrar um raio de 321 km de comprimento acima de Oklahoma, o que foi um recorde na época.

Embora o megaflash de 500 km ainda não tenha sido confirmado pela Organização Meteorológica Mundial e, portanto, não seja ainda o recordista mundial oficial, os cientistas estão curiosos para saber qual distância um raio horizontal pode realmente percorrer. Dados não publicados do GOES já sugeriram um megaflash ainda mais longo, com 673 quilômetros de comprimento, que teria sido observado aqui Brasil no início deste ano.

Fonte: Gizmodo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.