Os maias NÃO previram o fim do mundo em junho de 2020; entenda!

Por Nathan Vieira | 15 de Junho de 2020 às 21h20
Pixabay

Se você é daqueles que adoram uma teoria da conspiração, provavelmente deve ter acompanhado o impacto da questão do calendário maia em 2012, com o famigerado anúncio do fim do mundo (algo que rendeu até filme; lembra?). Acontece que, nos últimos dias, o Twitter resgatou essa teoria, a partir do momento em que um cientista chamado Paolo Tagaloguin escreveu sobre o assunto, afirmando que, na verdade, estamos tecnicamente em 2012.

Em meio aos tuítes (que foram apagados), Paolo Tagaloguin disse: "Seguindo o calendário juliano, estamos tecnicamente em 2012. O número de dias perdidos em um ano devido à mudança para o calendário gregoriano é de 11 dias. Por isso, 268 anos usando o calendário gregoriano (1752-2020) vezes 11 dias = 2.948 dias. 2.948 dias / 365 dias (por ano) = 8 anos".

É claro que a comunidade do Twitter comprou a ideia e contextualizou inclusive com a pandemia do novo coronavírus, que tem preocupado a população mundial. O assunto viralizou:

Não, não estamos em 2012...

Maias não previram fim do mundo em 2020

Bom, vamos lá: o calendário gregoriano não perde 11 dias por ano! Isso porque, basicamente, há centenas de anos os países começaram a mudar para o calendário gregoriano, que faz um trabalho melhor que o juliano (embora seja um pouco complicado ). Quando o fizeram, o calendário teve que avançar alguns dias para compensar os dias perdidos - geralmente cerca de 10 ou 11 dias -, mas isso foi feito apenas uma vez, não em todo ano. Portanto, a alegação de que, de alguma forma, foram ignorados 8 anos, está equivocada.

Daí vem a segunda questão: nada disso importa, porque a data de 21 de dezembro de 2012 já tinha sido convertida do calendário maia para o gregoriano, em primeiro lugar. Portanto, não há razão para trazer o calendário juliano à tona. E mais ainda: os maias não previram o fim do mundo. Essa civilização tinha seu método de contagem de tempo, assim como nós temos atualmente. Eles não usaram semanas, meses e anos, mas é a mesma ideia. Assim, 21 de dezembro de 2012 foi um grande encerramento dessa unidade, apenas.

Para que você entenda melhor: é algo semelhante ao nosso ano de 1999 se transformando em 2000. Então, esse grande "término do calendário maia" era como se fosse o marco de uma nova década, ou um novo século - e só isso. Há alguma interpretação de que eles celebraram essas coisas (como fazemos à meia-noite de 31 de dezembro de cada ano), mas nada que indique que eles pensavam que o mundo terminaria fisicamente.

Fonte: Bad Astronomy

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.