IA descobre seu tipo de personalidade analisando o movimento de seus olhos

Por Patrícia Gnipper | 03 de Maio de 2018 às 18h20

Se "os olhos são a janela da alma" a gente não sabe dizer, mas que a inteligência artificial já é capaz de descobrir muito a nosso respeito bastando olhar em nossos olhos, isso é verdade. Pesquisadores da Austrália e Alemanha desenvolveram uma IA capaz de determinar o tipo de personalidade de uma pessoa, bastando analisar o movimento de seus olhos para tal.

"Vários estudos anteriores sugeriam que o jeito que movemos nossos olhos é determinado por quem nós somos, por nossa personalidade. Otimistas, por exemplo, gastam menos tempo inspecionando estímulos emocionalmente negativos – como imagens de cânceres de pele – do que os pessimistas", explicou Andreas Bulling, do Max Planck Institute for Informatics.

Então, considerando tais estudos, os pesquisadores se desafiaram a criar uma maneira de analisar a personalidade das pessoas usando a inteligência artificial. Eles pediram a 42 estudantes que usassem um rastreador ocular em suas cabeças enquanto realizavam determinadas tarefas. Mas, antes disso, a equipe testou o tipo de personalidade de cada um usando os métodos atualmente aceitos.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Então, a IA considerou os tipos de personalidade de cada um na hora de analisar os movimentos de seus olhos, descobrindo os fatores correlatos que ligam as duas coisas. "Descobrimos que fomos capazes de prever com segurança quatro dos cinco principais traços de personalidade – neuroticismo, extroversão, amabilidade e conscienciosidade –, bem como a curiosidade perceptiva apenas dos movimentos dos olhos", explicou Bulling.

O pesquisador acredita que a invenção possa tornar as interações com computadores e robôs mais naturais e eficazes, uma vez que, atualmente, as máquinas ainda não conseguem entender muito bem as nossas emoções. "Quando conversamos, vemos e reagimos se outra pessoa parece confusa, irritada, desinteressada, distraída e assim por diante. Robôs e computadores atualmente são socialmente ignorantes e não se adaptam aos sinais não verbais de uma pessoa". Então, se um robô equipado com essa IA conseguir interpretar melhor a personalidade e as reações da pessoa com quem estiver conversando, as interações ficarão cada vez mais realistas.

Contudo, há dilemas éticos quanto ao potencial desta tecnologia. Afinal, não seria lá muito correto ser entrevistado por um robô durante uma candidatura a um novo emprego, e ter sua chance negada porque o robô determinou que o candidato é pessimista demais, por exemplo.

Fonte: Digital Trends

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.