Britânico recebe implante de olho biônico e recupera parte da visão

Por Redação | 23 de Julho de 2015 às 10h15
photo_camera Foto: Reprodução/BBC

Um idoso de 80 anos recuperou parte de sua visão depois de receber um implante de um olho biônico. O procedimento de implantação do objeto, batizado de Argus II, foi realizado por cirurgiões da cidade de Manchester, no Reino Unido.

Ray Flynn sofre de degeneração macular devido à sua idade avançada e acabou perdendo totalmente o seu campo de visão central. Com o implante na retina, as imagens são captadas e transformadas em vídeo graças a uma pequena câmera instalada em seus óculos.

O Argus II foi fabricado pela empresa americana Secong Sight e já ajudou a restaurar parte da visão de outros pacientes que acabaram ficando cegos devido a uma doença rara chamada retinite pigmentosa, responsável pela degeneração da retina.

O uso do implante em um paciente com degeneração macular é inédito e, como obteve resultado satisfatório, pode ajudar pelo menos meio milhão de pessoas com o problema somente no Reino Unido.

O paciente afirma estar encantado com a cirurgia e diz ter esperanças de um dia poder realizar suas antigas atividades de rotina, como compras e jardinagem.

A doença

Ray Flynn explica que a doença o impede de fazer coisas comuns, como digitar a senha do cartão em uma loja ou caixa eletrônico. Ele também conta que apesar de ter o costume de praticar jardinagem, hoje em dia não consegue distinguir ervas e flores. O idoso também precisava sentar muito perto da televisão para conseguir enxergar algo da programação.

A cirurgia

O procedimento para implantar o Argus II durou quatro horas sob o comando de Paulo Stanga, professor de Oftalmologia e Regeneração Retinal na Universidade de Manchester e cirurgião de retina e vítreo do Manchester Eye Hospital. "O progresso de Flynn é impressionante, ele está conseguindo ver os contornos de pessoas e objetos muito bem. Acho que pode ser o começo de uma nova era para pacientes com perda de visão", afirma Stanga.

O Argus II converte as imagens capturadas em pulsos elétricos e as transmitem via Wi-Fi para eletrodos implantados na retina. Então, esses eletrodos estimulam as células que restam na retina, enviando informações para o cérebro – tudo isso com a ajuda de um transmissor instalado nos óculos.

Duas semanas depois da cirurgia, Flynn conseguiu detectar padrões de linhas horizontais, verticais e diagonais em um computador. Durante o teste, ele manteve os olhos fechados para que a equipe pudesse se certificar de que a informação visual realmente estava vindo da câmera.

A cirurgia de implantação do Argus II não é barata e custa 150 mil libras, aproximadamente R$ 740 mil, com os custos do tratamento já inclusos. Flynn e outros quatro pacientes fizeram o procedimento gratuitamente como parte de um teste clínico.

Por enquanto, o implante não oferece aos pacientes uma visão mais detalhada, mas consegue fazer com que eles distingam formas geométricas.

Fonte: BBC, Mashable

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.