Nobel de Física vai para britânico e belga que descobriram o Bóson de Higgs

Por Redação | 08.10.2013 às 15:44 - atualizado em 08.10.2013 às 18:35

O prêmio Nobel de Física de 2013 foi dividido entre o britânico Peter Higgs e o belga François Englert, pela descoberta teórica do bóson de Higgs, a chamada "partícula de Deus" que explica por que a matéria elementar tem massa.

Em 1964, Higgs e Englert teorizaram de forma independente que deveria existir uma partícula subatômica capaz de dar massa a todas as outras partículas previstas no Modelo-Padrão da física das partículas, que descreve o mundo que nos rodeia. Esta partícula ficou conhecida como Bóson de Higgs, ou pelo nome popular "partícula de Deus".

Passadas quase cinco décadas da teorização, o LHC, o grande acelerador de partículas do CERN, localizado em Genebra, na Suíça, finalmente conseguiu registrar a existência do bóson de Higgs, permitindo completar o elenco das partículas previstas no Modelo-Padrão.

Higgs

François Englert (à esquerda) com Peter Higgs (Denis Balibouse / Reuters)

O prêmio é de 8 milhões de coroas suecas (cerca de 2,86 milhões de reais), mas também é principalmente um prêmio moral, de reconhecimento pela importância de um trabalho realizado. O bóson de Higgs é uma das maiores descobertas da física moderna. Ele será capaz de mudar fundamentalmente o conhecimento da física sobre o Universo.

Em seu livro "A partícula de Deus: se o Universo é a resposta, qual é a pergunta?", Leon Lederman, que também já ganhou um Prêmio Nobel, afirmou que o bóson de Higgs era capaz de resolver tantos problemas da Física que só poderia ser considerada uma partícula divina.

A comprovação da existência da partícula exigiu anos de esforços por parte de cerca de seis mil cientistas que participaram das complexas experiências do CERN, concebidas para detectar o bosón de Higgs em meio a uma imensidão de partículas criadas nas colisões de prótons no LHC.

Ao longo desta semana, ainda serão anunciados os vencedores do Nobel de Química, de Literatura e da Paz, com a edição deste ano se encerrando na próxima segunda-feira, com o Nobel de Economia.