Renault cria ilha inteligente para testar sistema que não usa combustível fóssil

Por Ricardo Ballarine | 22 de Fevereiro de 2018 às 09h14
photo_camera Divulgação/Renault

A Renault começou a fazer experimentos em uma ilha de Portugal com o objetivo de provar que é possível viver sem combustíveis fósseis. Na Ilha da Madeira, a montadora francesa está realizando testes com energia eólica e baterias recicladas.

Chamada de "Ilha Inteligente", o município de Porto Santo é o centro dos experimentos da empresa, que pretende estimular a produção de energia renovável. Dependendo dos resultados obtidos na Madeira, a Renault pretende levar o modelo para outras localidades.

Em Porto Santo, os testes acontecem com o Zoe, veículo elétrico que utiliza baterias domésticas, cargas inteligentes e armazenamento de energia feito diretamente com as estações.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Renault optou por um modelo diferente da Tesla e da sua Powerpack, unidades de armazenamento de energia em grande escala. O foco da montadora é o esforço comunitário, quase individual. Afinal, a "ilha inteligente" de Porto Santo conta com pouco mais de 5.400 habitantes morando numa área de 41 quilômetros quadrados.

Três fases em Portugal

O projeto se divide em três fases. Na primeira etapa, 20 voluntários vão receber 14 Zoes e 6 Kangoos, o utilitário da montadora, para uso diário. Vão carregar os carros em 40 estações públicas e privadas, configuradas pela Renault e a Empresa Elétrica da Madeira.

Nesse formato, o motorista terá à disposição um sistema que avisa quando é o melhor momento para abastecer o carro. Ele calcula a carga atual, o uso e o trajeto do veículo e indica se é melhor fazer pequenas cargas ou uma completa.

Na segunda fase, o carros elétricos passam a fazer parte da rede de eletricidade de Porto Santo. Eles serão conectados para ajudar a abastecer a cidade nos momentos de pico de consumo — essencialmente, serão considerados como baterias móveis.

Para fechar o programa, a Renault colocará em ação o Powervault, direcionado à reciclagem de baterias. Esses itens têm origem de carros que sofreram acidentes e ficaram inutilizáveis ou de programas que promovem trocas de baterias. Nessa fase, as baterias não serão direcionadas para os carros, e sim para as redes domésticas e sistemas locais de energia solar e eólica.

Consumo inteligente

Com esse sistema, será possível administrar com inteligência a demanda de energia. Carros poderão ser abastecidos à noite, via energia eólica, quando o consumo é menor. Ao mesmo tempo, nos momentos de picos, os carros ajudam a reinserir energia no sistema.

Apesar de implantar o projeto em um local pequeno, a Renault pretende utilizar esse pioneirismo para expandir para centros maiores.

Fonte: Engadget

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.