Boeing investe meio bilhão de dólares em carro voador elétrico autônomo

Boeing investe meio bilhão de dólares em carro voador elétrico autônomo

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 26 de Janeiro de 2022 às 11h30
Reprodução/YouTube/Wisk Aero

A Boeing confirmou um investimento de US$ 450 milhões na empresa Wisk Aero, resultado de uma joint venture com a especialista em táxis aéreos Kitty Wawk, para o desenvolvimento de um novo eVTOL (veículo elétrico com decolagem vertical).

Por meio de comunicado, a Wisk Aero revelou que o aporte financeiro permitirá alocar uma força de trabalho maior para o projeto do carro voador elétrico, que promete ser revolucionário.

O processo para certificação do veículo junto à FAA pode durar cinco anos, tempo que a empresa e os 350 funcionários terão para deixá-lo pronto para voar, além de preparar toda a força fabril da empresa, já que a ideia é de produção em larga escala — não à toa, a Boeing está envolvida.

"Com esse investimento, estamos reafirmando nossa crença nos negócios da Wisk e na importância de seu trabalho no pioneirismo em capacidade totalmente elétrica, orientada por IA e autônoma para a indústria aeroespacial", disse Mark Allen, diretor de estratégia da Boeing.

A expectativa da Wisk é que, quando disponível no mercado global, seus carros voadores transportem 40 milhões de passageiros em 20 cidades, somando mais de 14 milhões de horas de voo.

Carro voador da Wisk ainda está em fase experimental (Imagem: Divulgação/Wisk Aero)

Como é o carro voador da Wisk Aero?

Ainda sem nome oficial, o carro voador da Wisk segue em testes e até por isso possui números relativamente modestos de autonomia e velocidade. O que se sabe, porém, é que sua propulsão será elétrica, além da capacidade de operação 100% autônoma.

Segundo a marca, o veículo pode voar por até 40 quilômetros com uma carga, atingindo velocidade máxima de 160 km/h. Ao todo, são 12 rotores independentes que garantem maior segurança aos ocupantes.

Wisk promete operaçao 100% autônoma de seu carro voador (Imagem: Divulgação/Wisk Aero)

O teto operacional é de 1.500 metros e o limite de passageiros ainda não foi revelado, mas, pelo porte pequeno (6 metros de comprimento), deve ser de, no máximo, cinco pessoas. Há, também, um dispositivo de segurança com pára-quedas, em caso de necessidade.

Fonte: Wisk Aero

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.