Freelancers são o futuro das equipes especializadas, afirma analista

Por Redação | 13.11.2014 às 09:00

O número de profissionais independentes, os chamados freelancers, tem crescido em um bom ritmo nos último anos. Segundo uma pesquisa do Fórum Europeu de Profissionais Independentes, um em cada quatro profissionais na Europa trabalha de maneira independente. e mais de US$ 1 bilhão foi gasto na contratação desses profissionais em 2013. Este número, inclusive, deve crescer para US$ 5 bilhões nos próximos três a cinco anos, segundo o Staffing Industry Analysts (SIA).

Um dos maiores benefícios de se ter um freelancer é o aumento considerável na produtividade, impulsionada por dois fatores principais: a hiper especialização e a prestação de contas. O primeiro está relacionado a contratação de pessoas especialistas em determinadas áreas. A segunda tem o princípio de transformar a relação de empregador-empregado.

Imagine que uma empresa contrate um chefe de marketing que desempenhe as principais atividades ao qual se espera de seu cargo. Este trabalho pode ser dividido em tarefas distintas, dependendo dos objetivos que a companhia pretende alcançar, como por exemplo a gestão de marketing, e-mail marketing, marketing de desempenho, marketing offline, marketing online, relações públicas, entre outras.

Em vez de contratar uma pessoa que tentará cobrir todas essas áreas, por que não contratar quatro ou cinco freelancers hiper especialistas? Cada um desses profissionais trabalharia algumas horas por dia e se concentraria apenas na tarefa em que é especialista e que trará melhores resultados para a empresa.

De acordo com o SIA, todo freelancer é um especialista em seu campo e todos eles possuem outros clientes, que possibilitam a estes profissionais novas ideias e melhores práticas de negócio. Por estarem realizando trabalhos em um mesmo setor e para diferentes clientes, o profissional independente pode aperfeiçoar novas maneiras de elaborar ou concluir uma tarefa com bastante regularidade, além de possivelmente trazer novas visões para o empreendedor.

A maneira com que o freelancer encara seu trabalho também é diferente de um funcionário contratado efetivamente por uma companhia. Um funcionário é apenas mais um profissional aliado a outros que ajudarão a companhia a oferecer serviços e produtos ao cliente. Por outro lado, o freelancer encara a companhia como seu cliente, onde deverá realizar um trabalho de qualidade e eficiência para conquistá-la.

A comodidade de um emprego fixo é substituída por uma cultura onde todos são verdadeiramente responsáveis por seu trabalho e, desta forma, a qualidade das tarefas entregues é consideravelmente superior.

Os custos envolvidos para se manter um funcionário e um freelancer também estimula as empresas a investirem nos profissionais independentes. Uma mesma tarefa destinada a um freelancer tem um custo-benefício superior ao de um empregado onde salários e impostos devem ser pagos regularmente.

Pelo que parece, as empresas estão investindo mais em profissionais independentes por acreditarem que seus trabalhos, em muitos casos, são mais produtivos. Tal pensamento poderá dar uma nova aparência ao mercado profissional em um futuro breve, onde as pessoas serão mais independentes em suas atividades profissionais e as empresas mais satisfeitas com os trabalhos oferecidos.

Fonte: http://wallblog.co.uk/2014/11/12/freelancers-are-the-future-of-hyper-specialised-teams/