Contribuição do BI para a profissionalização da gestão organizacional

Por Diego Elias | 15.07.2014 às 06:05

Atualmente as empresas buscam melhorias para alavancar resultados com eficiência e eficácia. Isso devido principalmente a grande concorrência e exigência do mercado. Para isso são empregadas muitas tecnologias e técnicas para o aperfeiçoamento das atividades empresarias, como o exemplo do Business Process Management (BPM, em português Gerenciamento de Processos de Negócios), que gerencia, mapeia, modela e automatiza (em alguns casos) os processos de negócios para otimização das atividades e tarefas.

É recomendável organizar os processos antes da automação e também da implantação de um sistema de Business Intelligence (BI). Isso porque é muito custoso, e além do mais, não faz sentido automatizar processos desestruturados ou pouco confiável extrair informação de um ambiente caótico. Por isso é aconselhável que, inicialmente, os processos de negócios sejam mapeados e melhorados para amplificar, de forma ordenada, o crescimento empresarial.

Uma das grandes contribuições do BI, na minha opinião, é a mudança na forma de pensar e agir das pessoas, conduzindo a organização a uma cultura analítica e de resultados. Se trata praticamente de um novo paradigma, quebrando barreiras que existiam quando se pensava de forma pontual e operacional. A solução de BI possibilita a empresa tomar decisões respaldadas nos fatos e não mais apenas em intuições.

O processo de construção da solução de BI possibilita outros benefícios também. Um importante é a crítica construtiva que ele fornece aos sistemas da organização, localizando falhas e inconsistências até então despercebidas aos olhos dos analistas e usuários. Isso agrega robustez aos sistemas transacionais (locais onde são captados os dados para o BI), auxiliando a melhoria continua no ambiente operacional.

Outra mudança e contribuição está relacionado a disseminação da informação e a possibilidade de acesso por toda a organização. Antes eram obtidas informações de diversos sistemas, em diferentes formatos e às vezes com respostas divergentes. Agora essas informações se encontram em um repositório centralizado e com formas muito menos burocrática para consultá-las. Claro que essa “democratização” está relacionada ao quão acessível é a informação aos usuários, não significando porém, que sempre será visível por todos. Isso dependerá da política de acesso estabelecida na organização, pois existem informações confidenciais, sensíveis e de acesso restrito.

Portanto, fica evidente que o BI fornece benefícios que vão além da rápida extração de informações estratégicas e obtenção de insights. Ele consegue também contribuir para o aspecto cultural e na melhoria continua de processos e sistemas transacionais. Aliado a isso, promove a visão analítica e preditiva aos colaboradores, favorecendo a progressão empresarial através de resultados.