A diferença entre Big Data e Business Intelligence

Por Diego Elias | 19 de Maio de 2014 às 16h15

Atualmente existe uma certa confusão na hora de definir os conceitos de Big Data e o que isso muda em relação às soluções de Business Intelligence (BI). Ainda é difícil para muitas pessoas fazerem essa diferenciação. Muitos acham que Big Data se trata do substituto do BI, o que não é verdade, e iremos entender o porquê.

O Big Data muito ainda deverá amadurecer e mostrar seus reais benefícios às organizações. Muitos já saíram na frente, mas a maioria ainda tenta entendê-lo. Trata-se ainda de um conceito novo e que o tempo ainda mostrará sua real capacidade e valor para os negócios. Contudo, hoje o Big Data é definido como um conjunto de tecnologias capaz de tratar grandes volumes de dados, estruturados ou não, de diferentes formatos, com velocidade (muitas vezes em tempo real). Sua complexidade impede a utilização de tecnologias e ferramentas tradicionais para o processamento desses dados. O desafio se baseia justamente em capturar, tratar e analisar toda essa montanha de informações.

Mas o que então diferencia o Big Data do BI? Dizer apenas que Big Data trata de grandes volumes de dados com rapidez pode gerar conflito, até porque isso não é um característica exclusiva do Big Data. É possível o produto de BI implementá-las também.

O BI e Big Data são distintos e possuem objetivos diferentes. De certa forma são complementares. As duas soluções podem trabalhar conjuntamente, de forma não excludente, para melhor analisar e entender os dados.

A solução de BI tem foco na coleta, organização, transformação e disponibilização de dados estruturados para a tomada de decisão, além de permitir a análise preditiva de forma rápida e assertiva às organizações. Fornecem insights e tendências aos gestores, para assim poderem criar diretrizes eficientes e eficazes para o alcance dos resultados empresariais almejados.

Já o Big Data, em geral, pouco se preocupa com a exatidão que é fornecida em um sistema de BI (exceto em casos específicos ou onde a utilização de sensores se faz presente). O Big Data foca no processamento dos dados em busca de correlações e descobertas. Por isso no Big Data nem sempre saberemos os motivos para as correlações existentes, pois poderá ser algo jamais concebido ou estudado. E está aí o diferencial do Big Data: mostrar caminhos e correlações antes desconhecidos nos grandes volumes de dados, em tempo hábil, para que as empresas obtenham vantagens competitivas.

Uma coisa muito importante é que a implementação de uma solução de Big Data exige, de certa forma, boa maturidade em BI. Isso porque o Big Data possui grande complexidade e requer experiência em soluções que permitam familiaridade e facilitada concepção no que tange à análise de dados. Por isso, a implantação de Big Data sem uma experiência prévia em soluções analíticas aumentam, e muito, as chances de fracasso.

Portanto, o BI trata das perguntas conhecidas e das nossas pré-concepções com relação aos dados. Ao passo que Big Data se envolve com um universo de novas possibilidades e perguntas que ainda não conhecemos. Ambas possuem grande importância e devem ser bem entendidas para que as empresas possam aproveitá-las da melhor forma, agregando e alcançando os valores e resultados desejados aos negócios.