MP-DF investiga Banco Pan após vazamento de dados; banco contesta

Por Felipe Ribeiro | 09 de Setembro de 2019 às 12h55
Banco Pan

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) decidiu abrir investigação contra o o Banco Panamericano e instaurou um Inquérito Cívil Público (ICP) para a apurar eventuais responsabilidades pelo vazamento de dados da instituição, que ocorreram em em junho deste ano e foram classificados pelo MP como o maior do tipo no Brasil.

O MPDFT acredita que uma vulnerabilidade no sistema de armazenamento de dados do banco foi responsável pela exposição de mais de 245GB ou 1.235.151 arquivos contendo dados pessoais de clientes como carteiras de identidade, carteiras de habilitação, comprovantes de residência, CPFs, cartões de crédito, contratos de financiamento, solicitações de saque e extratos bancários, dentre outros. Todos os dados estavam na nuvem, o que corrobora para a versão do MPF-DF

O Banco Panamericano nega o vazamento dos dados, que foi descoberto por um grupo brasileiro de pesquisadores, o Data Grupo e publicado pelo portal The Hack.

Imagem: The Hack

Para quem está habituado ou já fez uma conta em um desses bancos virtuais como o Pan, Inter ou Original, é muito comum o scaneamento de imagens dos documentos, que são "upados" no sistema do banco por meio do app relacionado. Especialistas ouvidos por um outro site, o Cointelegraph, apontam que uma solução em blockchain poderia ser utilizada para evitar o ocorrido.

O que diz o Banco Pan?

Em nota oficial enviada ao site Convergência Digital na última quarta-feira (4), o Banco Pan alega que não houve qualquer invasão em seu banco de dados. "Após análise criteriosa em nossos sistemas de segurança, não foi constatada qualquer invasão", disse o banco. "Na atuação com parceiros comerciais são capturados dados cadastrais de potenciais clientes por tais parceiros, antes da efetiva formalização de uma operação com o Banco, que adota as medidas cabíveis caso identificado qualquer tipo de uso indevido dessas informações", completou a instituição.

O Banco Pan ratificou, ainda, "que a segurança da informação é uma de suas prioridades, alinhada com as melhores práticas de proteção, reconhecidas internacionalmente e exigidas pelos órgãos reguladores. Em compromisso com a sociedade, segue à disposição para colaborar com a apuração dos fatos."

Fonte: Investing , The Hack , Convergência Digital

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.