Irmão de Pablo Escobar acusa Elon Musk de roubar design de seu lança-chamas

Por Rafael Arbulu | 15 de Julho de 2019 às 10h59
(Imagem: Reprodução/The Next Web)

Elon Musk deve ganhar mais um “processinho” em breve se o irmão mais velho de Pablo Escobar — o empresário Roberto Escobar — fizer valer de suas ameaças. Segundo o irmão do notório narcotraficante internacional morto em 1993, o CEO da Boring Company conspirou para roubar da família colombiana o design de um lança-chamas para depois criar o Not A Flamethrower (“Não é um lança-chamas”, na tradução literal), produto que, juramos, é um lança-chamas e que a Boring Company vendeu no último ano por US$ 500 a unidade.

Segundo a acusação, a Escobar Inc., holding criada para a gestão dos negócios da família de Pablo Escobar e comandada por Roberto, recebeu um engenheiro a serviço de Elon Musk em uma reunião na qual foi discutida a criação de um lança-chamas a ser vendido em caráter comercial. O assunto não foi para frente, o que surpreendeu ainda mais a empresa colombiana quando Musk anunciou o Not A Flamethrower meses depois, com design similar. Compare ambos você mesmo:

(Imagem: Reprodução/The Next Web)

Segundo Escobar, “opções legais” estão sendo consideradas, mas não esclarece na documentação do processo exatamente quais elas são.

Elon Musk respondeu ao caso no Twitter, “elonmuskiando” a situação com sua característica comédia: “Não é um lança-chamas, Sr. Escobar”.

Se você esperava uma resposta da empresa colombiana, você não vai ficar decepcionado: o CEO da Escobar Inc., Olof Gustafsson, enviou comunicado assinado ao site The Next Web:

“O tuíte de Elon mostra que ele é culpado. É muito importante que isso seja entendido agora, uma das pessoas mais ricas do mundo reconheceu seu erro ao postar que ‘Não é um lança-chamas, Sr. Escobar’, essa é a forma pela qual ele busca reduzir sua própria culpa. Nós vamos acertar isso, com certeza. Elon sabe onde nos encontrar”.

O próprio Roberto Escobar também teceu alguns comentários ácidos sobre o CEO da Boring Company:

“Elon, nós dois sabemos que você roubou de mim. Eu estou pronto para acertar isso agora, por US$ 100 milhões. Aceito ações da Tesla ou dinheiro vivo. Eu vou vencê-lo em juízo, e você vai perder mais que US$ 100 milhões neste caso. Talvez eu faça de mim mesmo o novo CEO da Tesla na corte? Lembre-se, na década de 1980, você era apenas um bebêzinho enquanto eu comandava o mundo. Agora, você conseguiu alguns bilhões, talvez US$ 20 bilhões, um valor que fazíamos em duas semanas, meu amigo. Vamos acertar isso como cavalheiros. Envie as ações da Tesla em nome da Escobar Inc.”.

A Escobar Inc. vende três produtos específicos da figura semimítica de Pablo Escobar: uma camiseta oficial de Pablo (US$ 229), uma “autobiografia” de Pablo, escrita e assinada pelo irmão Roberto Escobar (US$ 10 mil, mas agora em preço promocional por US$ 500) e a oportunidade de conhecer pessoalmente o próprio Roberto Escobar, o chamado “Meet and Greet” (entre US$ 101 mil e US$ 808 mil).

Ah, sim: eles também vendem o lança-chamas, que, desde o início do processo contra a Boring Company, está em liquidação, com preço de US$ 249 (originalmente US$ 500).

(Captura de Imagem: Rafael Arbulu)

Fonte: The Next Web

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.