Homem surdo processa Pornhub por impedi-lo de “curtir” os vídeos da plataforma

Por Rafael Arbulu | 17 de Janeiro de 2020 às 11h00

Um usuário chamado Yaroslav Suris está processando o Pornhub (e, por consequência, a sua empresa controladora, a Mindgeek), acusando o site de impedi-lo de aproveitar o conteúdo oferecido na plataforma da mesma forma que outros usuários o fazem.

O motivo: Yaroslav é surdo.

Usando como base uma lei federal dos Estados Unidos (conhecida como “ADA” — Americans With Disabilities Act, ou simplesmente “Lei para os Americanos com Deficiência”), Suris alega que a suposta ausência de legendas impede que pessoas com desabilidades auditivas possam, conscientemente, saber o tipo de conteúdo que estão consumindo, ficando comumente “perdidos” durante a exibição dos vídeos por falta de contexto, segundo documentação da ação judicial, obtida pelo TMZ.

Um homem nos EUA moveu ação judicial contra o Pornhub, alegando que a plataforma de vídeos pornográficos o impede de aproveitar o conteúdo por completo por não oferecer suporte a surdos

O reclamante ainda usou certos títulos de vídeos como exemplos que lhe servem apenas como uma base, mas não fazem mais para situar o usuário na situação encenada: "Tia adotiva gostosa fica de babá de sobrinho desobediente”, “Policial gostosa faz a testemunha confessar” e “Papai 4K — Allison veio para falar de dinheiro com o pai safado dos seus filhos”. Segundo Suris, os três vídeos acima possuem linhas de diálogo e um módico de narrativa, os quais ele próprio não consegue compreender devido à ausência de legendas.

O TMZ fez uma analogia satírica sobre como a situação “é como se você comprasse uma revista Playboy pelas matérias escritas”. Entretanto, vale citar que o Pornhub foi um dos primeiros sites mainstream da indústria pornográfica a contemplar opções para deficientes: em junho de 2016, a plataforma criou opções de “pornô em áudio” para pessoas com deficiência visual.

Apesar do que diz o processo, o Pornhub afirma que possui opções para deficientes variados: desde 2016, cegos conseguem "assistir" aos vídeos no site e, em 2018, foi criada uma categoria específica para legendas em vídeos, que contempla deficientes auditivos

Sobre o processo atual, o vice-presidente do Pornhub, Corey Price, comentou: “É nosso entendimento que Yaroslav Suris está processando o Pornhub, alegando que nós negamos aos surdos e deficientes auditivos o acesso a nossos vídeos. Embora nós costumeiramente evitamos comentar em processos que ainda estão curso, gostaríamos de aproveitar essa oportunidade para lembrar a todos que nós temos uma categoria de legendas [em nosso site]”.

Por ora, ainda não se sabe qual será o fim do processo: por se tratar de uma ação de classe, Yaroslav Suris conseguiu que outras pessoas também se juntassem a ele em sua reclamação, que pede por uma indenização de valor não divulgado. Porém, até o momento, datas de audiências não foram divulgadas.

Fonte: TMZ

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.