Embraer registra sua marca de aviões elétricos e híbridos

Embraer registra sua marca de aviões elétricos e híbridos

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 20 de Janeiro de 2022 às 07h30
Divulgação/Embraer

A Embraer finalmente registrou a marca para seus vindouros aviões híbridos e elétricos. Antes chamados de Energy Family, agora esses modelos virão sob a alcunha de "Energia", inaugurando uma nova fase para a fabricante brasileira de aeronaves.

O nome foi escolhido depois de muito debate e alguns problemas operacionais. A ideia da Embraer era de colocar a marca "Energica", mas precisou mudar depois de um conflito com outra empresa, que tem o mesmo registro no Escritório de Patentes e Marcas Registradas dos Estados Unidos (USPTO).

Com a parte mercadológica em andamento, a fabricante agora se concentra em desenvolver seus produtos, anunciados em novembro de 2021.

Os aviões da Energia prometem alta eficiência energética e baixíssima poluição

Como serão os aviões elétricos e híbridos da Embraer?

A Embraer é mais uma das empresas aéreas no mundo que aposta nos combustíveis renováveis e na eletrificação para o futuro da indústria aeronáutica. Com isso em mente, a gigante brasileira já trabalha em quatro modelos de aeronaves esse propósito, sendo elas elétricas, híbridas e abastecidas com SAF, o combustível ecológico de aviação.

São elas:

1. Energia Hybrid (E9-HE)

  • Propulsão híbrida-elétrica;
  • Até 90% de redução das emissões de CO2;
  • 9 assentos;
  • Motores montados na parte traseira;
  • Disponibilidade da tecnologia: 2030.

2. Energia Electric (E9-FE)

  • Propulsão elétrica completa;
  • Emissões zero de CO2;
  • 9 assentos;
  • Hélices contra-rotativas traseiras;
  • Disponibilidade da tecnologia: 2035.

3. Energia H2 Fuel Cell Gas Turbine (E19-H2FC)

  • Propulsão elétrica de hidrogênio;
  • Emissões zero de CO2;
  • 19 assentos;
  • Motores elétricos montados na parte traseira;
  • Disponibilidade da tecnologia: 2035.

4. Energia Gas Turbine (E50-H2GT)

  • Propulsão de hidrogênio ou SAF / JetA;
  • Redução de emissões de CO2 em até 100%;
  • 35 a 50 assentos;
  • Motores montados na parte traseira;
  • Disponibilidade da tecnologia: 2040.

Fonte: Electrek

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.