Uber usa reconhecimento de texto para identificar má conduta na plataforma

Por Wagner Wakka | 16 de Abril de 2019 às 16h31
Tudo sobre

Uber

Saiba tudo sobre Uber

Ver mais

A Uber anunciou nesta terça-feira (16) um sistema de reconhecimento textual responsável por identificar mensagens impróprias enviadas por usuários ou motoristas da plataforma. A tecnologia é capaz de detectar automaticamente palavras que podem ser consideradas ofensivas ou que possam ameaçar a integridade de uma pessoa e reportar ao sistema da empresa.

Segundo o comunicado, tais palavras são selecionadas de acordo com os termos de condições e conduta da empresa. Assim, “qualquer comportamento que envolva violência, conduta sexual, assédio ou discriminação ao usar o aplicativo resultará na desativação da conta”. Como isso também se estende ao que é escrito em mensagens dentro do app, a punição também pode ocorrer com as mensagens automaticamente registradas como má conduta.

A empresa sabe, contudo, que a ferramenta pode contar com erros e falsos positivos. Por conta disso, haverá um processo de análise. “Uma equipe de especialistas analisa casos particulares, em que o contexto pode trazer dúvidas, falsos positivos ou em que há circunstâncias especiais. Hoje, o Centro de Excelência mantido pela Uber em São Paulo reúne cerca de 600 profissionais, que são os responsáveis por essas análises, entre outras atividades”, informa a empresa.

O sistema é capaz de detectar automaticamente linguagem imprópria no sistema de mensagens enviadas dentro do bate-papo do app da Uber. Portanto, é importante para resguardar a segurança, tanto do motorista quanto do passageiro, que fujam da plataforma, por exemplo, optando pela comunicação via WhatsApp.

"Na Uber, a tecnologia está sempre no centro das nossas soluções. Por meio dela, podemos contribuir significativamente para as comunidades onde operamos. Neste caso, estamos anunciando um novo recurso que nos ajuda a promover interações mais respeitosas", disse Fabio Sabba, diretor de Comunicação da Uber para o Brasil. Acrescentando, "vamos continuar trabalhando nessa direção, para melhorar os processos e a experiência de todos, usuários e motoristas".

A Uber também informou que fechou uma parceria com o Serpro, empresa pública de segurança, para a checagem em tempo real das informações cadastrais dos motoristas. A proposta é de que o setor receba investimentos de R$ 250 mil nos próximos cinco anos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.