Tinder testa recurso com vídeos curtos ao estilo Boomerang do Instagram

Por Jessica Pinheiro | 04 de Abril de 2018 às 14h23
TUDO SOBRE

Tinder

A partir desta quarta-feira (4), o Tinder começa a se aventurar no universo dos vídeos, ao invés de apenas fotos. O popular aplicativo de encontros está começando a testar uma funcionalidade baseada em vídeo com usuários de iOS no Canadá e na Suécia. Os testes estão feitos apenas nestes dois lugares por enquanto, pois a empresa afirma que quer, primeiramente, avaliar como as pessoas reagirão ao recurso, intitulado de Tinder Loops, antes de tomar a decisão final e, enfim lançá-lo mercado.

De acordo com Brian Norgard, diretor de produtos da Tinder, o “Loops representa o próximo passo na evolução de nosso perfil clássico”. Ele ainda afirma que: “Com a edição de vídeo, os usuários têm uma nova maneira de se expressar, além de obterem insights importantes sobre a vida de seus possíveis matches. Seja dançando em um show, fazendo cambalhotas na praia ou tilintando taças com os amigos, o Loops faz com que os perfis [dos usuários] ganhem vida. Prevemos que o Tinder Loops levará [as pessoas] a mais matches e conversas, e estamos ansiosos para ver como os nossos usuários irão adotar o recurso de maneira criativa”.

Como o nome da funcionalidade bem sugere, o Loops não é como um vídeo tradicional, mas sim uma reprodução de duração curta e contínua, quase como uma GIF – ou, em uma comparação ainda mais ampla, seria algo como o recurso Boomerang do Instagram, ou os extintos Vines do Twitter. A diferença é que o Loops do Tinder dura apenas dois segundos e podem ser adicionados aos perfis dos usuários, ao lado das fotos.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Mais personalidade aos perfis

Uma das idealizações da empresa em sua decisão de testar o Tinder Loops é levar mais personalidade aos usuários. A concepção, por si só, pode aumentar as chances das pessoas escolherem a seta da direita (isto é, curtir um pretendente), já que os vídeos podem ser utilizados para mostrar um pouco das atividades favoritas do usuário, sejam estas mais rotineiras na cidade grande, ou aventuras em lugares exóticos. Ainda assim, as pessoas podem encontrar novas e inventivas formas de utilizar as reproduções em loop para chamar a atenção e ganhar mais matches.

A proposta visa mostrar melhor as pessoas, ao invés de limitá-las a apenas fotografias com filtros, tiradas em um ângulo que lhe favoreça de alguma forma. Por consequência, as surpresas em supostos primeiros encontros serão reduzidas, já que os usuários terão uma noção melhor das pessoas, sobre sua aparência e seus gostos, como gosta de se divertir, dentre outros detalhes. Tudo isso em apenas dois segundos de vídeo – o que pode soar como um verdadeiro desafio para os mais tímidos.

Como funcionam os testes

Para experimentar a nova funcionalidade, os usuários de iOS selecionados poderão acessar seus perfis e, em seguida, tocar no botão “Adicionar Mídia” para fazer o upload de um vídeo. Depois que o vídeo for escolhido, a pessoa poderá selecionar qual será o trecho recortado na faixa de tempo do arquivo. Esta parte recortada irá compor o Tinder Loops. Em seguida, será possível visualizar o pequeno vídeo e então, publicá-lo no perfil.

Juntamente com a opção de adicionar Loops, aparentemente os usuários que estão testando a nova funcionalidade do Tinder poderão carregar nove fotos (ou Loops) ao invés de apenas seis. A ampliação pode ser uma forma de instigar as pessoas a enviarem mais Loops para o aplicativo, evitando, assim, que seja necessário remover as imagens que já estão no perfil.

Por enquanto, o Tinder Loops suporta apenas vídeos ou Live Photos importados do rolo da câmera do iOS, e não permite que os usuários capturem loops diretamente do aplicativo.

Pioneirismo x popularidade

O Tinder não é a primeira empresa do gênero a se interessar por um recurso envolvendo vídeos em sua plataforma. No ano passado, as rivais da companhia tentaram inserir vídeos em diferentes contextos também, permitindo reproduções em movimento de até 30 segundos. Com a popularização de funcionalidades como o Stories do Instagram, não foi exatamente uma surpresa que outras empresas do mercado testassem uma função similar para tentar chamar mais público para o seu serviço. Match, Bumble e Zoosk foram algumas das marcas que se aventuraram no segmento.

A tarefa de integrar vídeos sem um contexto ou sem uma função estabelecida, porém, pode não ser tão simples como parece; ainda mais agora que a competição no mercado está acirrada, repleta de aplicativos de todos os tipos que aderiram aos famigerados vídeos ao estilo Stories, tais como o Facebook e o WhatsApp. Isso sem contar os processos por conta de patentes, fraudes e aquisição de segredos comerciais, dentre outras ações que apenas tornam os casos das marcas de apps de dates um tanto quanto desagradáveis.

A Tinder, porém, parece estar seguindo um caminho diferenciado, se destacando no ramo de aplicativos de encontros. Além do Tinder Loops que está em fase de testes, a empresa também anunciou recentemente que tem intenção de lançar uma versão feminina de seu serviço – algo em que, novamente, ela não seria a pioneira, uma vez que a Bumble já possui uma plataforma assim; mas que ainda assim lhe confere um pouco mais de visão, por conta de sua popularidade entre os usuários.

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.