Microsoft Teams enfrenta problemas em meio à pandemia do coronavírus

Por Rafael Arbulu | 17 de Março de 2020 às 11h18

O Microsoft Teams, ferramenta de reunião e apresentação remota da empresa, vem apresentando falhas de comunicação desde esta segunda-feira (16) com diversos usuários na Europa e nos Estados Unidos relatando problemas no envio e recebimento de mensagens entre membros de uma conversa. A empresa não apontou causas, mas é provável que o súbito aumento no volume de pessoas utilizando o serviço seja uma das razões.

Em um período onde a COVID-19, doença resultante do novo coronavírus (SARS-CoV-2), força empresas e instituições de ensino a reposicionarem alunos e funcionários para o trabalho remoto (home office), a falha no Microsoft Teams acabou chegando na pior hora possível. Adicionando mais dificuldades à situação, além dos problemas de mensagem, outras opções de gerenciamento acabaram aparecendo também.

Microsoft Teams vem apresentando problemas de gerenciamento de recursos desde a manhã de ontem, 16

Desde a manhã de ontem, usuários na Europa vinham reclamando que a plataforma apresentava falhas de funcionamento quando eles autenticavam em suas contas. Rapidamente, a Microsoft respondeu aos reclamantes, informando que estava investigando “um problema relacionado ao envio de mensagens”, porém novos relatos deram conta de problemas adicionais, como criar novos times, adicionar ou remover membros de times preestabelecidos, compartilhar telas, gravar reuniões e outras dificuldades.

A situação apenas pareceu ter sido resolvida na parte da tarde, com a Microsoft falando no Twitter que os problemas já haviam sido solucionados. Isso, porém, não durou, já que usuários nos Estados Unidos começaram a apresentar situações similares aos da Europa.

“Nós tomamos ações para averiguar um problema que uma parcela de nossos clientes pode ter enfrentado”, disse um porta-voz da empresa ao site VentureBeat. “Nossos engenheiros continuam monitorando o desempenho e as tendências de uso [da ferramenta]”.

O Teams vem apresentando dificuldades devido ao aumento de volume de usuários forçados a trabalharem ou estudarem de casa por causa do avanço do coronavírus

Recentemente, em resposta à pandemia do coronavírus, a Microsoft anunciou diversos aprimoramentos para o Teams, incluindo uma versão gratuita mais robusta, com funcionalidades normalmente pagas; além de novos prazos de teste gratuitos para a ferramenta (seis meses) para usuários premium. Em ambos os casos, o Microsoft Teams teve removidas as restrições quanto a número de pessoas em uma reunião virtual ou de quantos membros um time pode ter dentro do software.

Com os novos recursos, a Microsoft ambicionou ajudar aqueles que, de repente, se viram forçados a trabalharem de casa, mas acabou dando de cara com um novo problema: escolas nos Estados Unidos começaram a abraçar o ensino à distância, aumentando ainda mais o volume de pessoas remotas usando o Teams.

Segundo um estudo recente conduzido pela Zug, especializada no fornecimento de recursos para escritórios, cerca de 70% da força de trabalho mundial já trabalha de casa. Esse número, porém, deve aumentar nos próximos meses, à medida que novos casos da COVID-19 apareçam em novos países. Por isso, experiências remotas fornecidas por softwares como o Microsoft Teams (e Slack, Google Suite, entre outros) serão essenciais durante esse período de pandemia.

O problema ainda persiste em alguns casos nesta manhã de 17 de março, mas o volume de reclamações parece ter diminuído.

Fonte: Venture Beat; CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.