Depois da Rússia, agora é o governo do Irã que pretende banir Telegram no país

Por Wagner Wakka | 18 de Abril de 2018 às 18h40
photo_camera Desiree Catani

O governo iraniano pode banir nacionalmente o uso de Telegram. Em anúncio público liberado nesta quarta-feira (18), o líder do país, Aiatolá Khamenei, acusou o app de ter monopólio das comunicações na região, e disse que as entidades governamentais não mais usariam o Telegram. “Este movimento vem à frente dos planos das autoridades de bloquear o Telegram e tem como objetivo apoiar os aplicativos de mídia social domésticos”, publicou o Aiatolá.

Atualmente, o país tem 40 milhões de usuários do aplicativo, sendo que a população conectada à internet é de 50 milhões de pessoas. Em março desde ano, o país já havia derrubado tanto o aplicativo de mensagens quanto o Instagram durante protestos. O governo passará a utilizar apenas outros aplicativos locais como iGap, Soroush, and Gap.

Outro caso

Este anúncio do Irã vem cinco dias depois de a Rússia banir o aplicativo do país. O governo decidiu proibir o app após o Telegram ter se recusado a entregar chaves de criptografia para investigação de usuários por parte das autoridades. O projeto russo era de que o app fizesse parte de uma rede que colaborasse com o governo no combate ao crime, sobretudo terrorismo.  

Um dos criadores do Telegram, Pavel Durov, se defendeu dizendo que esta é uma quebra do direito de sigilo dos usuários. Ele ainda denuncia o governo por tê-lo obrigado a sair de sua antiga companhia, a VK, uma das redes sociais mais populares da Rússia. Segundo Durov, ele teria sido forçado a vender  sua parte da empresa por conta de pressão do governo, quando se recusou a remover perfis contrários ao governo de Vladimir Putin.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.