Botão de tradução do Skype permite que operadores escutem suas conversas

Por Rafael Rodrigues da Silva | 07 de Agosto de 2019 às 15h35
Tudo sobre

Skype

Saiba tudo sobre Skype

Ver mais

De acordo com uma reportagem publicada pelo site Motherboard nesta quarta-feira (7), empresas terceirizada contratadas pela Microsoft estão escutando as conversas dos usuários do Skype sem consentimento.

O site revela que, ao utilizar a opção para tradução simultânea em chamadas de áudio ou vídeo, esses funcionários terceirizados teriam acesso a todo o conteúdo das conversas dos usuários. A informação conseguida pelo site inclui até gravações de conversas íntimas entre casais. Isso acontece porque esses terceirizados, normalmente trabalhando de suas próprias casa, usam essas gravações para criar traduções manuais das conversas para a Microsoft, para comparar com as traduções sugeridas pela ferramenta de tradução simultânea do Skype momento da conversa e sugerir as alterações necessárias para que ela se torne cada vez mais apurada.

A Microsoft deixa claro nos termos de uso do Skype que as ligações que utilizam a ferramenta de tradução simultânea serão gravadas e analisadas para que se melhore a Inteligência Artificial (IA) do sistema. No entanto, não há nada avisando que algumas dessas análises serão feitas por operadores humanos - e pior ainda, terceirizados que não possuem nenhum vínculo empregatício com a criadora do Windows.

De acordo com o funcionário terceirizado que forneceu o material para o site, o próprio fato dele conseguir mandar essas gravações para a imprensa já é uma boa amostra do problema. Isso porque ele prova que não há ninguém checando se essas gravações são deletadas pelos funcionários depois de utilizadas. E, ainda que se confirme que esses arquivos não contêm nenhuma info de identificação que permita que ligar as conversas a um usuário específico, ele afirma que provavelmente muitos usuários não gostariam de saber que um total desconhecido está ouvindo suas conversas e comentando com os amigos sobre as coisas que ele diz.

De acordo com a Microsoft, a terminologia usada pela empresa deixa claro que as conversas serão analisadas, e que todos os arquivos enviados pelos trabalhadores terceirizados são transferidos através de um portal especial da empresa, que retira todas as informações de identificação que possam existir nesses áudios. Ainda assim, a Microsoft não se pronunciou sobre o fato de que os termos de uso do Skype não deixam claro que essa análise das conversas seria feita por humanos.

O caso do Skype é apenas o mais recente de uma série de descobertas de como as empresas de tecnologia tem contratado funcionários terceirizados para ouvir gravações de conversas dos usuários. Empresas como a Google e a Apple já foram acusadas de fazer a mesma coisa no treinamento dos assistentes virtuais de seus smartphones.

Fonte: Motherboard

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.