Bot auxilia usuário na declaração do Imposto de Renda

Por Rui Maciel | 03 de Fevereiro de 2020 às 10h55
Divulgação

IRBot. Esse é o nome de um bot criada por uma startup homônima, criado em outubro do ano passado e cujo objetivo é facilitar a declaração do Imposto de Renda para o contribuinte brasileiro.

De acordo com seus desenvolvedores, a ferramenta traduz os jargões de contabilidade presentes no programa da Receita Federal para tornar o preenchimento da declaração acessível a todos os perfis. Além de esclarecer os termos mais técnicos, a solução permite ainda o upload dos documentos solicitados, como informe de rendimentos, recibos e relatório do plano de saúde.

Depois de esclarecer os termos técnicos da declaração e ter os documentos anexados, o usuário recebe um extrato do IR preenchido para que possa ele revisar antes de enviar para a Receita. O IRBot conta ainda com um chat personalizado, em que o usuário pode conversar com um contador, para que dúvidas adicionais possam ser sanadas. Depois de tudo pronto e revisado, o próprio IRBot preenche a declaração no programa oficial da Receita Federal e faz a transmissão para os servidores da entidade, graças a uma integração com o sistema da mesma.

“Em vez de lidar com as nomenclaturas técnicas das quais o contribuinte não faz menor ideia, a plataforma realiza perguntas compreensíveis e diretas, como, por exemplo, quanto foi recebido de salário, dividendos e outros lucros”, afirma Victor Gadelha, advogado tributarista há mais de dez anos e idealizador da startup.

Para utilizar o programa, o usuário deve pagar entre R$ 29,90 a R$ 49,90 - dependendo da proximidade da data limite de entrega da declaração do IR. Ou seja, quanto mais próximo o prazo final, mais caro o uso do bot será.

No ano que vem a ferramenta ganhará mais recursos

Para além da declaração do IR, Gadelha afirma que está desenvolvendo novas funcionalidades para o IRBot já para 2021. Um desses novos recurso é a inclusão do rastreamento dos modos fiscais, para que todas as notas de serviços de saúde - que podem deduzidas no IR - fiquem dentro do IRBot, evitando que o contribuinte precise acumular papeis.

Outra melhoria prevista para o ano que vem é a estruturação contábil do MEI. Conforme o criador do programa explica, os microempreendedores que recebem mais de 2 mil reais mensais e não possuem escrituração contábil só gozam de isenção de Imposto de Renda sobre um certo percentual do faturamento. “Vamos lançar um serviço de contabilidade para o MEI e automatizar esse processo, fazendo com que ele possa gozar de 100% de isenção no IR”, afirmou Gadelha.

Para finalizar, o executivo esclarece que também vem trabalhando pela funcionalidade de antecipação de restituição do IR, disponível a partir de 2021. Segundo ele, a ideia é utilizar um cartão de débito pré-pago, ondo contribuinte poderá utilizar o valor da restituição muito antes da sua liberação pela Receita, a juros baixos”.

“Consideramos o IRBot mais seguro do que contratar um contador, uma vez que a solução consegue realizar todos os questionamentos e mapear todas as hipóteses que podem desencadear diferentes situações, diferentemente de um ser humano", disse Gadelha. "Muitas vezes, os erros acontecem porque nem todas as perguntas são feitas. Com sistema, os erros são minimizados, bem como possíveis dores de cabeça. E com os recursos que estamos desenvolvedo para 2021, queremos ocupar um espaço estratégico neste mercado, que ainda tem muito a evoluir”, completa.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.