Atualize já o Chrome! Google admite brecha e lança correção de segurança

Por Claudio Yuge | 05 de Fevereiro de 2021 às 14h30
Kaspersky
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

Quem usa o Chrome, sabe que o navegador possui uma agenda de atualização automática que costuma funcionar bem, mas, de vez em quando, é preciso forçar um update manualmente — especialmente casos mais urgentes, a exemplo de patches de segurança. E é exatamente este o caso desta semana: o Google admitiu a existência de uma brecha de “dia zero” (aquelas que estão no software original, mas ainda não eram conhecidas pelos desenvolvedores) e lançou uma correção.

Segundo o pesquisador de segurança Mattias Buelens, uma vulnerabilidade no WebAssembly e no JavaScript V8, que ajudam a executar outras aplicações no Chrome, permite que invasores possam se aproveitar para inserir códigos maliciosos no computador das vítimas. O Google não entrou em detalhes, mas admitiu o problema e confirmou que cibercriminosos já vêm explorando essa brecha — por isso, a atualização é urgente.

A correção vem com a versão 88.0.4324.150, compatível com o Chrome 88 para Windows, Mac e Linux, e pode ser feito da seguinte forma: acesse o menu dos três pontinhos no navegador entre na opção “Ajuda”. Em seguida, abra “Sobre o Google Chrome” e o próprio browser vai checar se a sua versão já está atualizada. Caso não estiver, o update será feito imediatamente e é necessário reiniciar o navegador.

A versão atualizada é 88.0.4324.150 (Imagem: Captura de tela/Canaltech

Em nota, o Google disse que “o acesso aos detalhes e links do bug pode ser mantido restrito até que a maioria dos usuários seja atualizada com uma correção. Também manteremos as restrições se o bug existir em uma biblioteca de terceiros da qual outros projetos dependam, mas ainda não foram corrigidos”. Ou seja, é bem possível que a companhia esteja investigando a extensão do problema antes de divulgar exatamente quem são os possíveis responsáveis, o que e quanto teria sido comprometido com esse problema.

Dessa forma, ainda não se sabe quais outros softwares ligados ao Chrome foram afetados por essa falha e a recomendação é para que todos atualizem outros programas baseado no Chromium, a plataforma que serve como base para outros navegadores, a exemplo do Microsoft Edge.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.