App Picap promete ser o “novo Uber” para corridas de moto

Por Wagner Wakka | 17 de Julho de 2019 às 11h00
Wagner Wakka/Canaltech

Um novo app de transporte chegou à cidade de São Paulo. O aplicativo colombiano Picap é a novidade voltada para corridas de moto, com preços até 30% mais baratos para competir com Uber e 99. Outra vantagem levantada pela startup que leva o mesmo nome é o tempo do deslocamento: até 50% mais rápido.

O grupo promete que o serviço já vai começar a funcionar em quatro capitais, inicialmente em caráter de testes. São elas: São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Belo Horizonte. Em comunicado, ela prometeu que o funcionamento do app será bem parecido a outros programas de corridas — ou seja, só é preciso se cadastrar com Android ou iOS e efetuar pagamentos com cartão de crédito.

O Picap conta com preços mais atraentes também. Isso porque a manutenção e gasto com combustível de uma moto geralmente são menores em relação a um carro. Em testes realizados pelo Canaltech, as corridas ficaram, em média, 30% mais baratas que com o Uber.

Em uma simulação, o Picap cobra R$ 10,51 para o usuário ir da região da Bela Vista até a estação Pinheiros de metrô. A mesma corrida, no mesmo horário, sairia por R$ 14,70 na opção UberX. Ou seja, sairia 28,50% mais barato.

Comparação de preços entre Uber e Picap para uma mesma corrida (Foto, Wagner Wakka/Canaltech)

Dificuldades

O app ainda pode passar por problemas para atuar em algumas cidades, como a de São Paulo. Há pouco mais de um ano, o prefeito da capital paulista, Bruno Covas, sancionou uma lei que proíbe a utilização de motocicletas para passageiros, prática chamada de mototáxi.

A discussão vem de 2009, quando uma lei federal passou a regulamentar a profissão em todo país. O documento, contudo, deixou em aberto para que cidades tenham autonomia para liberar ou proibir o serviço localmente.

Segundo a lei nº 16.901/2018, “fica proibida no Município de São Paulo a utilização de motocicletas para a prestação do serviço de transporte de passageiros (mototáxi), bem como para o transporte de material inflamável ou que possa pôr em risco a segurança do munícipe”.

O documento não traz nenhuma brecha para que apps de transporte possam trabalhar oficialmente na cidade, sendo que o Picap chegaria ilegal à cidade. Em Belo Horizonte e Recife, o app pode funcionar normalmente.

Para São Paulo, contudo, o motorista que for pego transportando passageiros pode levar uma multa de até R$ 1 mil. Em caso de reincidência, o motorista terá sua moto apreendida.

Renda

Como início de funcionalidade no Brasil, a empresa também promete que o app será mais vantajoso ao motorista que seus concorrentes. Isso porque não será cobrada uma comissão do prestador neste começo de trabalho. A ideia é motivar que motoristas possam se inscrever para fornecer corridas pelo aplicativo.

App já está disponível em cinco países (Foto: Google Play)

O serviço começou a funcionar há três anos e já atua na Colômbia, Argentina, México e Peru. Segundo a Picap, atualmente há 150 mil motociclistas utilizando o serviço, com média de R$ 4 mil em receita por mês.

Fonte: Lei nº 16.901/2018, Mobilidade SP

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.