App chinês que cria deepfakes viraliza e gera preocupação

Por Felipe Ribeiro | 02 de Setembro de 2019 às 12h50
Bloomberg

Depois da febre do FaceApp, aplicativo capaz de te deixar mais jovem ou mais velho, outro programa "deepfake" está fazendo muito sucesso, mas, desta vez, apenas com usuários de iPhone. Lançado na última sexta-feira (30), o app chinês Zao, criado pelo desenvolvedor da plataforma de mídia social Momo, faz algo ainda mais ousado: com uma simples selfie, a imagem é colada na face de um trecho de filme ou série, fazendo com que você seja "teletransportado" para aquela película.

Segundo o South China Morning Post, as postagens com a hashtag #zao tiveram mais de 8 milhões de visualizações na rede social chinesa Weibo. E como relata a Bloomberg, o Zao está liderando os downloads na App Store chinesa na seção de apps gratuitos.

Como funciona?

Muito simples. Basta que os usuários enviem uma selfie para o aplicativo, que será colada na face de estrelas como Leonardo DiCaprio, John Bradley, Tom Cruise, entre outros. Você só pode enviar seu rosto para cenas específicas de filmes e TV disponíveis no aplicativo, não sendo possível, por exemplo, colocar o rosto de alguém em uma cena de crime ou um momento político.

Alguns usuários do Twitter experimentaram o aplicativo, assumindo o rosto de DiCaprio em cenas de filmes como Titanic e Romeo & Julieta, Jim Parsons, em The Big Bang Theory e Samwell Tarly (Sam Driver-Tweddell) em Game of Thrones.

Mas e a segurança?

Tal qual ocorreu com o FaceApp, a popularidade e a linha tênue de atuação do Zao com o deepfakery vêm com inevitáveis ​​preocupações com a privacidade e isso se aplica, particularmente, aos envios de fotos. Os usuários podem adicionar uma foto existente ou tirar uma nova usando o aplicativo — isso inclui imagens de você piscando para ajudar no realismo da renderização do deepfake.

A Momo, que publicou uma versão ajustada do contrato de usuário do Zao, reinvidica direitos "gratuitos, irrevogáveis, permanentes, transferíveis e passíveis de royalties" para qualquer conteúdo carregado no aplicativo. Os usuários, por sua vez, inundaram a App Store com críticas negativas, com a classificação de Zao como 1,9 estrelas em cinco, sendo mais de 4.000 avaliações citando a privacidade como um problema.

A dona do app diz, ainda, que, apesar dessas regras contratuais, quaisquer selfies ou vídeos adicionados ao aplicativo não serão usados ​​para nada além de aprimoramento do programa ou para algo que não seja o que o usuário concordou anteriormente, além de dizer que todas as mídias serão apagadas dos servidores caso o próprio usuário a apague de sua conta.

“Entendemos a preocupação com a privacidade. Recebemos o feedback e corrigiremos os problemas que não levamos em consideração", disse a Momo em comunicado publicado na Weibo. É bom ressaltar que a WeChat, maior rede social chinesa, bloqueou todo e qualquer vídeo feito com o Zao, em um claro indício de preocupação com o funcionamento do programa.

Ainda não há previsão sobre o lançamento deste app para os dispositivos Android e nem para a chegada dele ao iOS no Ocidente.

Fonte: Mashable

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.