Após morte de entregador, Rappi deve implementar botão de emergência no app

Por Wagner Wakka | 12 de Julho de 2019 às 15h47

O Rappi anunciou mudanças em seu aplicativo após a morte, na segunda-feira (8), de Thiago de Jesus Dias, um entregador do serviço. A plataforma informou ao BuzzFeed News que está desenvolvendo um botão de emergência para entregadores da plataforma.

"A empresa está desenvolvendo um botão de emergência, que estará disponível dentro do aplicativo dos entregadores, por meio do qual os mesmos poderão optar por acionar diretamente o suporte telefônico da Rappi — que contará com equipe especializada — ou as autoridades competentes (caso se deparem com situações relacionadas à saúde ou segurança)", diz a nota da empresa.

Segundo o veículo, a companhia disse também que “está buscando melhorias no processo” e deve contar com uma equipe especializada para lidar com casos como o de Dias.

Colaboradores também fazem entregas em motos e biciletas pela cidade (Foto: Divulgação/Rappi)

O caso começou no último sábado (6) quando o rapaz fazia entregas em Perdizes durante a noite. Ele começou a passar mal e foi atendido pelos próprios clientes para quem fazia uma entrega.

Os usuários então entraram em contato com o Rappi pelo smartphone de Dias, buscando assistência para o motoboy. Contudo, eles apenas ouviram a recomendação de que dessem baixas nas outras entregas para não atrapalhar o fluxo da empresa, sem oferecer socorro ao colaborador.

O caso ainda se agravou quando a assistência do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) não chegou depois de acionada e um motorista do Uber se recusou a levar o rapaz para o hospital.

Somente duas horas depois é que ele foi socorrido pela irmã, que o levou para o Hospital das Clínicas. O rapaz foi diagnosticado com um acidente vascular cerebral (AVC) e levado para a UTI. Contudo, veio a falecer na segunda-feira pela manhã.

Segundo o BuzzFeed News, a Uber não quis comentar o ocorrido e a Prefeitura de São Paulo já informou que abriu investigação sobre o caso.

Em comentário, o irmão do entregador, Isaque de Jesus Dias, criticou: "É revoltante eles terem essa ideia só agora, depois de a gente perder nosso irmão. Afinal, o que ele deixou de fazer a Rappi pode substituir por outro, mas nós da família não temos esse poder de contratar um novo irmão".

O Rappi ainda não informou quando que as novas medidas devem ser implementadas na plataforma.

Fonte: BuzzFeed News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.