Berlim bane Uber por questões de segurança

Por Redação | 15 de Agosto de 2014 às 06h30

O Uber, conhecido por aí como o revolucionário aplicativo para corridas de táxi e aluguel de carros privados, está sendo banido de Berlim, na Alemanha. Em uma norma emitida nesta quinta-feira (14) pelo Departamento de Assuntos Civis e Regulatórios da cidade alemã, o uso do app está proibido por questões de segurança e, caso a empresa insista em continuar operando por lá, terá que pagar uma multa de € 25 mil por dia.

A organização municipal explicou que todos os veículos de transporte urbano, como ônibus e táxis credenciados, estão protegidos por um seguro e têm motoristas credenciados. Não é o caso do Uber e, sendo assim, Berlim decidiu impedir a utilização da aplicação por seus residentes, já que eles não poderiam ter sua segurança garantida pela prefeitura da cidade.

Trata-se de mais um revés para o Uber desde sua chegada aos países da Europa, no início do ano. Em países como Inglaterra, além da própria Alemanha, por exemplo, a empresa tem sofrido com protestos de proprietários de táxis e empresas tradicionais do setor, que reclamam do fato de os motoristas que utilizam a aplicação não estarem sujeitos às mesmas normas de transporte e tributação. Assim, poderiam cobrar taxas menores de seus passageiros, constituindo o que muitos chamam de concorrência desleal.

Em Berlim, mais especificamente, se fala também em lobby das empresas de transporte. Foi o que deu a entender o diretor geral do Uber na Alemanha, Fabien Nestmann, em entrevista à BBC. Ele disse que a empresa vai recorrer da decisão municipal e que a administração pública está tomando uma decisão retrógrada, limitando o poder de escolha dos consumidores pelas maneiras erradas.

Para o executivo, o Uber trouxe uma agitação e competição inéditas a um mercado que não mudava há anos, com as mesmas empresas e pessoas decidindo de forma unilateral as políticas de transporte e tarifas. O aplicativo modificou tais dinâmicas com um modelo diferente de chamada de carros, o que acabou fazendo com que muita gente do setor torcesse o nariz.

Sobre as políticas relacionadas aos impostos, o porta-voz do Uber afirmou que, como recebe uma porcentagem de todas as corridas realizadas pelo aplicativo, também trabalha junto ao governo britânico para garantir o pagamento dos impostos. Porém, não comentou sobre as outras normas de transporte citadas pelos críticos.

No Brasil, o Uber está disponível em duas cidades, São Paulo e Rio de Janeiro, e já começou a chamar a atenção dos taxistas, principalmente, de forma negativa. As prefeituras das duas cidades já consideraram o aplicativo como ilegal, enquanto motoristas credenciados realizam protestos e já chegaram até mesmo a fechar ruas para pressionar o governo a tomar medidas que proíbam sua utilização.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.