Android Rooting: conheça este recurso e aprenda a ativá-lo em seu smartphone

Por Giancarlo Silva
photo_camera Divulgação

Desde o primeiro momento em que o sistema aberto para dispositivos móveis do Google se popularizou, surgiu um termo técnico que se tornou bastante recorrente entre seus entusiastas. Com a possibilidade de conceder acesso ilimitado para a execução de uma infinidade de tarefas e funções adicionais, o rooting passou a ser uma das práticas mais versáteis possíveis de serem feitas em smartphones e tablets dotados do sistema operacional Android.

Mas o que vem a ser exatamente o rooting, como ele funciona, para que ele serve exatamente e como ele pode ser feito?

O que é o root?

Android Bootloader

Por padrão, os gadgets Android possuem um nível de acesso ao sistema propositalmente limitado. Isso acontece por motivos de segurança, com a intenção de dificultar a violação do sistema Android por softwares maliciosos, mas também permite que o nível de personalização do aparelho seja relativamente menor.

No jargão da informática, root é o nome dado a uma conta de usuário especial – também geralmente chamado de Super Usuário ou Administrador – que possui controle sobre todas as funções desse sistema. Os aparelhos Android saem de fábrica com uma conta de usuário comum que possui acesso apenas a algumas partes do SO, o suficiente para garantir seu bom funcionamento, ao mesmo tempo em que protege as partes mais críticas do sistema de acesso não autorizado, seja de aplicativos instalados voluntariamente pelo usuário, seja de softwares maliciosos que podem danificar o sistema.

Entretanto, é costume de muitos dos usuários de Android abrirem mão dessa camada de segurança com a intenção de elevar a personalização de seus gadgets a um outro patamar. Afinal, com um aparelho "rootado" é possível melhorar a experiência de uso do Android das mais diversas maneiras! Entre muitas outras coisas, é possível desinstalar aplicativos inúteis instalados pelas operadoras e fabricantes, poupando considerável espaço de armazenamento, além de instalar utilitários que não funcionariam com acesso limitado e que trazem funções extremamente úteis, como backup total dos dados do usuário, overclocking em dispositivos mais lentos ou um melhor controle do consumo de energia e autonomia da bateria.

Além disso, uma das possibilidades mais interessantes de se fazer root em um dispositivo Android é permitir a instalação de ROMs personalizadas do sistema operacional, que geralmente vêm com recursos mais avançados e são mais leves e otimizadas, já que não vêm com todas as modificações impostas pelos fabricantes e pelas operadoras de telefonia celular.

Quais são seus riscos?

Entretanto, há riscos a serem considerados caso se deseje habilitar o acesso root em um gadget Android: os arquivos principais do sistema operacional – que antes possuíam acesso restrito por serviços do sistema – agora ficam totalmente expostos, podendo ser alterados ou até mesmo apagados pelo dono do aparelho acidentalmente, danificando o sistema de forma permanente. Além disso, nem todas as ROMs customizadas são confiáveis, contendo aplicativos ou códigos maliciosos. Assim sendo, é aconselhável que o usuário escolha bem a ROM customizada que quer instalar, dando preferência a ROMs bem conceituadas e que tenham uma comunidade ativa.

Sem contar que algumas fabricantes podem anular a garantia de seus produtos caso o root seja feito. Se você considera esse benefício importante, talvez seja melhor esperar um pouco antes de liberar o acesso irrestrito em seu gadget.

Posso lidar bem com essas consequências. Quero "rootear" meu Android. E agora?

A primeira coisa que deve ser considerada é que o processo de root não é padronizado. Devido à infinidade de dispositivos Android existente no mercado, os procedimentos necessários para liberar o acesso irrestrito ao sistema variam bastante de aparelho para aparelho, podendo ser um bocado complicados em algumas situações.

Felizmente, os esforços para facilitar o rooting no Android deram muitos frutos ao longo dos anos. Em muitos aparelhos o processo consiste apenas em instalar um aplicativo e clicar em uma opção que faz o root automaticamente. Em outros casos, basta conectar seu smartphone ou tablet a um computador via cabo USB e rodar um script que fará todo o trabalho pesado.

Ready2Root

Existe um site na internet dedicado a catalogar todas as instruções de rooting existentes, chamado Ready2Root. Nele, é possível encontrar meios para habilitar o root em smartphones e tablets de diversas fabricantes e modelos, inclusive mais antigos e já fora de circulação no mercado (como o Samsung Galaxy 5, por exemplo). É possível encontrar até mesmo instruções para root de aparelhos vendidos diretamente pelo próprio Google: todos os modelos da linha Nexus estão disponíveis no site.

Os métodos de rooting são ensinados através de tutoriais em texto e vídeos, espalhados pela internet e reunidos no site para fácil consulta: muitos deles são threads do fórum oficial do grupo XDA Developers, maior comunidade de desenvolvimento Android da atualidade.

Com a ajuda do Ready2Root, certamente boa parte do medo de transformar seu gadget em um peso de papel é bastante suavizada. Rootear um smartphone Android pode ter seus riscos, porém muitos adeptos do robozinho verde atestam os inúmeros benefícios, que acabam compensando bastante e facilitam a vida de quem usa o Android em seu dia-a-dia.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!