WWDC 2015: Apple apresenta novidades do Pay, Maps e News e faz história

Por Sérgio Oliveira | 08 de Junho de 2015 às 15h29

A tarde desta segunda-feira (08) foi recheada de novidades para os fãs da Apple, que não só puderam ver o que a empresa está aprontando para os próximos meses, como também a viram fazendo história na WWDC 2015 em São Francisco, Califórnia (EUA).

Apple Pay

Embora o Apple Pay não seja novidade para mais ninguém, foi na apresentação de novos parceiros do sistema de pagamentos móveis que a Maçã fez história: pela primeira vez desde que foi fundada, a companhia trouxe uma executiva para o palco de apresentações da marca. A escolhida foi Jennifer Bailey, que já trabalha há 10 anos na companhia e atualmente ocupa o cargo de vice-presidente de serviços para a internet.

Tim Cook prometeu e, pela primeira vez na história, a Apple trouxe uma executiva para o palco de uma conferência da empresa. Jennifer Bailey apresentou quais rumos o Apple Pay tomará a partir do próximo mês e confirmou a popularização do sistema de pagamentos.

Tim Cook prometeu e, pela primeira vez na história, a Apple trouxe uma executiva para o palco de uma conferência da empresa. Jennifer Bailey apresentou quais rumos o Apple Pay tomará a partir do próximo mês e confirmou a popularização do sistema de pagamentos (Imagem: Reprodução / Fortune)

Se ainda havia alguma desconfiança quanto o sistema de pagamentos móveis da Apple, Bailey tratou de espantá-los ao anunciar que a partir de agora o Pay será aceito em mais de 1 milhão de estabelecimentos comerciais em todo o território norte-americano. Entre os novos parceiros, estão nomes notáveis até para nós, brasileiros, como Best Buy, Forever 21, Dunkin' Donuts e LEGO.

"O Apple Pay é tão fácil de usar que nossos desenvolvedores estão nos dizendo que o nível de compras mais que dobrou nos últimos meses", afirmou a executiva, destacando a boa aceitação do sistema pelo público. A coisa está tão boa que Cupertino também fechou uma parceria com o Pinterest, que agora passará a exibir os chamados "pins compráveis", que permitirão ao usuário comprar um item específico das lojas Nieman Marcus e Macy's usando o Apple Pay.

A aceitação do sistema está tão boa que a Apple decidiu que é hora de expandir os horizontes e o lançará no Reino Unido já no mês de julho. Segundo a companhia, inicialmente 8 bancos das terras da rainha trabalharão com o sistema e um total de 250 mil estabelecimentos comerciais aceitarão a nova forma de pagamento.

Em sua expansão para os territórios britânicos, o Apple Pay passará a ser aceito até pelo transporte público da terra da rainha

Em sua expansão para os territórios britânicos, o Apple Pay passará a ser aceito até pelo transporte público da terra da rainha (Imagem: Reprodução / The Verge)

Para fechar sua participação histórica no evento da Maçã, Bailey também anunciou que a chegada do iOS 9 permitirá que os usuários adicionem cartões pré-pagos de lojas específicas e cartões fidelidade. O mais impressionante de tudo é que o usuário não terá que selecionar qual cartão usar, já que o sistema identificará o estabelecimento e selecionará tudo automaticamente.

Usuário só precisará cadastrar cartão fidelidade no Apple Pay e o sistema fará todo o resto, inclusive identificar o estabelecimento e selecionar o cartão mais apropriado

Usuário só precisará cadastrar cartão fidelidade no Apple Pay e o sistema fará todo o resto, inclusive identificar o estabelecimento e selecionar o cartão mais apropriado (Imagem: Reprodução / The Verge)

Apple Maps

Após a participação histórica de Jennifer Bailey, Craig Federighi anunciou que a Apple continua trabalhando extensivamente para fazer com que os usuários deixem de depender do Google na hora de usar um aplicativo de mapas e passem a adotar, de uma vez por todas, a solução da casa.

O Apple Maps será atualizado com a chegada do iOS 9 e finalmente passará a contar com coordenadas de transportes públicos, algo que havia sido deixado de lado após a companhia substituir o Google Maps pelo Apple Maps em 2012. Desde aquela época os fãs da marca esperam por esse recurso e, aparentemente, ele finalmente chegará aos iGadgets.

Para compensar atraso, Apple aposta em recursos minimalistas para diferenciar Maps do Google, como, por exemplo, a indicação das saídas das estações do metrô

Para compensar atraso, Apple aposta em recursos minimalistas para diferenciar Maps do Google, como, por exemplo, a indicação das saídas das estações do metrô (Imagem: Reprodução / TechCrunch)

Como sempre, por enquanto a novidade funcionará em sua totalidade apenas no território norte-americano, mais especificamente às cidades de Baltimore, Chicago, Nova Iorque, Filadélfia, São Francisco e Washington DC, que passarão a contar com orientações de ônibus, trem e metrô. Internacionalmente, apenas Londres, Toronto e Berlim contarão com o recurso de coordenadas de trânsito.

Vale lembrar que a novidade chega com sete anos de atraso em relação ao principal concorrente de Cupertino, o Google. Em 2008, a gigante das buscas foi a primeira a trazer algo do tipo para o iOS e, à época, já contava com suporte para mais de 100 países. Para compensar tamanho atraso, a Apple decidiu incluir alguns "extras" para agradar os usuários.

Entre esses "mimos" está, por exemplo, a exibição de pontos comerciais que aceitam o Apple Pay como forma de pagamento. Além disso, a empresa fez um bom trabalho ao exibir para o usuário todas as linhas de trem e metrô, além de todas as saídas das estações, assim que o usuário toca sobre uma delas no Maps. A Siri também está super informada sobre o transporte público e basta perguntar a ela qual trem ou metrô pegar para ir a uma localidade em específico.

Outro diferencial em relação ao concorrente é que o Apple Maps exibirá estabelecimentos comerciais que aceitam o Apple Pay como forma de pagamento

Outro diferencial em relação ao concorrente é que o Apple Maps exibirá estabelecimentos comerciais que aceitam o Apple Pay como forma de pagamento (Imagem: Reprodução / The Verge)

Agora, resta saber se os usuários que já estão acostumados a usar o aplicativo de Mountain View vão migrar por completo para a prata da casa, que, aparentemente, agora está completa. Segundo Federighi, isso não será problema, já que o "Maps tem 5 bilhões de solicitações semanais", o que é "3,5 vezes superior que o outro aplicativo líder em mapeamento".

Apple News

Além de todas essas melhorias no Apple Pay e no Apple Maps, a empresa norte-americana aproveitou a tarde desta segunda-feira para anunciar um novo aplicativo: o News. Na verdade, a notícia não pegou praticamente ninguém de surpresa, já que vários rumores apontavam para o surgimento de um novo app deste tipo e o fim do Newsstand.

Susan Prescott foi a segunda executiva a subir a um palco da Apple e apresentou o novo app da empresa, o News.

Susan Prescott foi a segunda executiva a subir a um palco da Apple e apresentou o novo app da empresa, o News (Imagem: Reprodução / Stuff)

Convidando a vice-presidente de aplicações Susan Prescott para subir ao palco, a Apple não só mostrou o novo aplicativo, como também fez história mais uma vez. Segundo Prescott, com o News, a ideia é trazer para os usuários notícias de veículos renomados de todos os lugares do globo numa interface totalmente personalizável - algo assustadoramente semelhante ao Flipboard.

Para os veículos, o News oferece possibilidades de tornar o conteúdo mais rico e atraente do que o normal. Numa demonstração, a executiva mostrou várias animações e gestos que podem ser usados para prender a atenção do usuário, além da experiência em tela cheia e fotos e vídeos que podem ser embutidos diretamente nos artigos e tocados "on the fly".

O News é extremamente semelhante ao Flipboard e já há quem diga que a Apple copiou o app concorrente na cara dura apenas o renomeou

O News é extremamente semelhante ao Flipboard e já há quem diga que a Apple copiou o app concorrente na cara dura apenas o renomeou (Imagem: Reprodução / The Verge)

Do lado do usuário, ele não só poderá personalizar como desejar ver todo o conteúdo, como também quais quer acompanhar. Para isso, será possível listar tópicos e assuntos de maior interesse para que o News refine os resultados de suas buscas e, dessa forma, ofereça conteúdos mais relevantes para o gosto de cada um.

Para nós, brasileiros, resta esperar para ver quando o News chegará oficialmente pelas bandas de cá. Por ora, o aplicativo só será lançado nos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália.

Toda a experiência do News será em tela cheia e ele ainda oferecerá recursos de animações e fotos e vídeos inline para enriquecer o conteúdo e atrair o usuário

Toda a experiência do News será em tela cheia e ele ainda oferecerá recursos de animações e fotos e vídeos inline para enriquecer o conteúdo e atrair o usuário (Imagem: Reprodução / The Verge)

Leia mais sobre o que rolou na WWDC 2015:

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.