Windows 7 volta a ter queda, mas ainda lidera em total de usuários

Por Felipe Demartini | 08 de Junho de 2018 às 16h43
Reprodução

Após dois meses de um aumento no número de utilizadores, o Windows 7 voltou a registrar queda em seus números de uso ao longo do mês de maio de 2018. De acordo com dados da Net Applications, empresa voltada para análises do mercado de software, a redução no período foi de 1,8%. Parece pouco, mas também é a maior baixa experimentada pelo sistema operacional nos últimos dois anos.

De acordo com os números do mês de maio, o Windows 7 permanece na liderança do mercado de sistemas operacionais. Mesmo com a redução, ele permanece com um market share de 41,8%, enquanto o segundo colocado, o Windows 10, aparece com 34,7%. A plataforma registrou aumento de 0,9% no período, com a Microsoft querendo ver esse crescimento sendo cada vez maior, na mesma medida em que o antecessor diminui sua penetração.

Apesar dessa distância toda, a empresa de Redmond deve ver os totais como positivos, pelo fato de, em março e abril de 2018, o Windows 7 ter revertido a tendência e apresentado crescimento. Não é um resultado desejável para um sistema operacional lançado em 2009 e que, por mais que ainda esteja recebendo suporte da companhia, algo que é garantido até 2020, não constitui a oferta corrente de produto nem a plataforma que recebe maior atenção.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Na previsão, quando se leva em conta os dados do passado recente, uma ultrapassagem deve acontecer ainda neste ano. Ao final de 2018, a expectativa é de termos o Windows 10 rodando em 45,6% de todas as máquinas com a plataforma, enquanto seu antecessor ainda aparecerá em 43.2%. É uma liderança que a Microsoft deve comemorar, é claro, mas que, novamente, apresenta o problema inerente de uma plataforma com uma década de existência, ainda, rodando em uma quantidade assustadora de dispositivos.

A espera, então, é por uma situação semelhante à que foi vista com o Windows XP, que levou anos e anos, mesmo depois do fim do suporte oficial, para chegar a um patamar em que representasse apenas um coeficiente de máquinas defasadas e desatualizadas, em vez de uma preferência por parte dos usuários. Levando em conta as diversas críticas ao Windows 10 e aos problemas que constantemente aparecem em grandes atualizações da plataforma, essa parece ser uma questão que se avizinha.

Em outros sistemas, houve estabilidade, com o Windows 8 e sua versão 8.1 mantendo presença em 6,5% dos PCs em operação no mundo – um movimento que deve durar pouco, entretanto, com a estimativa de que a plataforma deve cair para baixo dos 5% até dezembro. Enquanto isso, o Windows XP permanece firme com sua fatia de 5% do mercado, que não deve sofrer grandes alterações.

Enquanto isso, o MacOS teve queda de 0,2% em maio, fechando o mês com market share de 9%. O Linux teve crescimento de 0,1% e aparece em 2% dos computadores em operação no mundo. Aqui, inclusive, houve recuperação, já que quedas sucessivas haviam levado a plataforma a ficar abaixo dessa marca, considerada tradicional para o Pinguim.

Os dados da Net Applications são obtidos a partir do acesso a loja de aplicativos e sites de clientes da companhia. Os dados que permitem a liberação dos dados são obtidos de forma anônima, a partir do navegador utilizado para visita.

Fonte: Tech Central

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.