Windows 10 terá sistema de compartilhamento de senhas de redes Wi-Fi

Por Redação | 02 de Julho de 2015 às 13h07

Uma nova funcionalidade do Windows 10, disponível tanto em sua versão desktop como na edição mobile, pode configurar ao mesmo tempo uma comodidade e também um risco de segurança. Por meio do WiFi Sense, o sistema será capaz de compartilhar senhas de redes sem fio com os seus amigos por meio do Outlook, Skype ou Facebook, criando uma espécie de lista comunitária.

Funciona de maneira simples. Sempre que o usuário se conectar a um ponto de acesso com sucesso, a Microsoft compartilhará tais credenciais de acesso com toda a lista de contatos. A ideia é permitir que os usuários de Windows Phone, principalmente, economizem no pacote de dados com uma relação cada vez mais crescente de Wi-Fis confiáveis e seguros. O celular será capaz de se conectar automaticamente sempre que localizar uma rede conhecida, sem a necessidade de intervenção.

Para evitar problemas, porém, a Microsoft garante que a senha, em si, não será compartilhada pelo WiFi Sense e ficará armazenada apenas no dispositivo original. Além disso, a empresa garante que, por meio do serviço, será possível ter acesso apenas à internet e não a intranet local ou outros dispositivos que também possam estar conectados na rede Wi-Fi.

Tudo, claro, depende da função WiFi Sense estar ligada e funcionando no dispositivo. É possível desativar a função de compartilhamento ou, ainda, escolher exatamente com quais grupos de contatos as senhas serão compartilhadas. Ficaram sem muita opção, porém, os administradores de rede, já que a única maneira de manter suas conexões fora do sistema é incluir o comando “_optout” ao final do SSID – uma alternativa que, para usuários mais leigos, pode acabar ficando fora de questão.

Na verdade, o WiFi Sense funciona mais ou menos como uma extensão de um sistema de integração já existente no Windows 8. Ao conectar a uma rede sem fio pelo celular, por exemplo, você não precisará fazer o mesmo em seu notebook, já que as credenciais são compartilhadas com todos os dispositivos conectados a uma conta da Microsoft. Agora, porém, a empresa está expandindo esse conceito também para a lista de contatos – que podem não ser, necessariamente, amigos.

Facilitando golpes (?)

Por mais que a Microsoft afirme que a segurança do sistema WiFi Sense é total, não tem como não pensar que ela também pode acabar facilitando a vida dos criminosos digitais. Afinal de contas, um dispositivo precisa da senha para se conectar a qualquer rede e por mais que ela não esteja armazenada no próprio aparelho, em algum momento ela vai precisar ser, pelo menos, lida por ele.

E é aí que pode acabar se abrindo uma brecha de segurança importante. Com a chave de acesso, um usuário malicioso pode obter acesso não apenas à internet, mas também à rede interna, podendo observar arquivos e equipamentos conectados. Buscar uma forma de burlar a proteção do WiFi Sense contra isso pode acabar sendo muito útil no final das contas.

Com isso, o sistema pode acabar propiciando também a realização de ataques que utilizam engenharia social como método. Hackers e criminosos podem tentar se aproximar de funcionários das empresas-alvo de forma a se tornarem um contato. Na sequência, basta se aproximar da rede desejada para que o celular se conecte automaticamente a ela e, na sequência, permitam que os sistemas sejam violados.

Sobre essa possibilidade, porém, a Microsoft não se pronunciou. O WiFi Sense chega junto com o Windows 10, que deve ser lançado no dia 29 de julho.

Fonte: Microsoft, The Register

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.