Windows 10 tem utilitário que impede download automático de atualizações

Por Redação | 28 de Julho de 2015 às 12h49
photo_camera Divulgação

Gerou muita polêmica a revelação de que, para usuários domésticos, o Windows 10 terá atualizações mandatórias, que serão baixadas e instaladas automaticamente de forma a manter o sistema operacional sempre em dia e o ecossistema com a mesma versão no máximo possível de máquinas. Mas, agora, um utilitário do próprio sistema operacional parece resolver em parte essa questão e permite evitar tais downloads.

A novidade apareceu no Insider Preview, a versão de testes do Windows 10 que já vem sendo usada há meses por entusiastas e interessados. Pelo utilitário, o sistema é capaz de identificar quais atualizações estão disponíveis online, permitindo que o usuário marque aquelas que podem estar causando os problemas para que elas não voltem a ser baixadas automaticamente após a desinstalação.

Trata-se, então, de uma correção posterior. O usuário afetado terá que, primeiro, desinstalar manualmente o update que está falhando para, depois, rodar o utilitário. É uma funcionalidade que, até o Windows 8, fazia parte nativa do sistema operacional, mas que com a nova versão deixará de existir como parte do incentivo da fabricante à atualização global do sistema.

O processo vale tanto para updates do próprio Windows 10 quanto para drivers de placas de vídeo, câmeras ou outros componentes que também podem ser ocultados caso estejam causando problemas no computador. É claro que isso não impede que atualizações futuras sejam baixadas e instaladas automaticamente, mas pelo menos serve para resolver uma das grandes críticas de quem é contra a ideia, afirmando que esse esquema mandatório, no caso de problemas, deixará os usuários em maus lençóis, reféns da Microsoft até o lançamento de uma correção.

A única questão, aqui, é que o utilitário é um aplicativo separado e não parte integrante do Windows 10. Mesmo sendo oficial, ele precisa ser baixado pela própria loja da Microsoft e executado manualmente todas as vezes que o usuário quiser fazer uma modificação do tipo. A cada verificação, ele será capaz de reconhecer as atualizações disponíveis e dar as opções pertinentes para o usuário.

É uma opção que, por exemplo, deve agradar aos administradores de TI. Como o utilitário não precisa de instalação e roda a partir de seu próprio executável, pode ser deixado em um pendrive junto com outras ferramentas de manutenção, sendo utilizadas nas máquinas de uma empresa, por exemplo, sempre que ocorrerem problemas.

São justamente esses casos que colocaram muita gente contra o sistema de atualizações mandatórias da Microsoft. A empresa, assim como tantas outras do mundo da tecnologia, tem seu histórico de lançar updates com falhas e que podem causar problemas de funcionamento. A indicação é sempre esperar alguns dias até que o download seja feito para garantir que tudo funcione bem, mas agora os usuários não terão mais essa opção, o que pode acabar causando muita dor de cabeça.

A solução funciona bem na prévia que está disponível aos usuários atualmente e não se sabe ao certo se ela também estará disponível na versão final do Windows 10, que chega nesta quarta-feira (29). Apesar disso, tudo indica que sim.

Agora é só esperar que mesmo com esse caráter independente a ferramenta tenha uma adoção global.

Fonte: Microsoft, PC World

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.