Windows 10 pode ter transformado sistemas piratas em genuínos

Por Redação | 30 de Julho de 2015 às 11h28

Desde esta quarta-feira (29), todo e qualquer usuário de Windows 7 e 8 pode atualizar seu sistema operacional para o novíssimo Windows 10. Isso vale até mesmo para cópias pirateadas, que, apesar do upgrade, continuaram sendo consideradas como ilegítimas pela Microsoft, que pede que os usuários adquiram uma licença. Mas parece que, na prática, a coisa não foi bem assim.

Horas depois do início da liberação digital do novo sistema operacional, alguns usuários começaram a relatar pelo Reddit que seus computadores, antes ilegítimos, agora aparecem com o Windows 10 registrado pela Microsoft. A situação parece ocorrer apenas em alguns computadores e após o uso de um tipo de crack específico, o KMSpico, que é largamente utilizado em cópias baixadas ilegalmente de aplicativos da Microsoft como o pacote Office e o próprio sistema operacional.

As informações ainda são escassas. Há quem diga que, mesmo utilizando a solução, não vê sua cópia do Windows 10 constando como registrada. Por outro lado, existem aqueles que já dizem que a Microsoft pode estar voltando atrás de sua decisão de não certificar cópias pirateadas e que, mesmo sem utilizar nenhum tipo de crack, agora possuem cópias legítimas do sistema operacional em seus computadores.

Isso significa que tais usuários passam a ter direito ao suporte completo na plataforma, com o lançamento de novas atualizações e funcionalidades ao longo do tempo. Além disso, como a Microsoft já afirmou, essa será a última versão completa do Windows, que receberá mudanças ao longo do tempo, e se as informações sobre a conversão de cópias piratas forem reais, muita gente acabou recebendo uma grande regalia da fabricante.

Oficialmente, o upgrade para o Windows 10 é gratuito e garantido para todos os usuários das versões 7, 8.1 ou Windows Phone 8 originais no período de um ano a partir do lançamento. Depois desse período, os usuários precisam adquirir normalmente a licença, que no Brasil custa R$ 330 na versão Home e R$ 560 para usuários profissionais.

A Microsoft não se pronunciou sobre qualquer mudança nesses critérios.

Fonte: Pplware

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.