Windows 10 | Microsoft testa recurso para ajustar programas que usam muita CPU

Por Wagner Wakka | Editado por Jones Oliveira | 22 de Abril de 2021 às 10h56
Divulgação/Microsoft

A Microsoft está testando uma nova ferramenta do Windows 10 que deve reduzir a demanda por CPU de apps que estão usando mais processamento do que deveriam. O recurso se chama Eco Mode e foi introduzido para alguns usuários participantes do programa de testes na build 12364 do sistema operacional.

A ferramenta está incluída no Gerenciador de Tarefas do Windows 10. Ao verificar que algum programa está exigindo mais da CPU que o necessário (principalmente rodando em segundo plano), é possível clicar com o botão direito e escolher o Eco Mode.

Opção vai aparecer no gerenciador de tarefas (Foto: Divulgação/Microsoft)

Acionar esta opção tem duas consequências. A primeira é que ela coloca o processo em baixa prioridade, o que significa que o programa deixará de demandar tanto processamento, abrindo espaço para outros programas rodarem melhor. Além disso, o recurso garante que o programa em questão rode na melhor eficiência de energia possível. Ou seja, com menor demanda térmica e maior autonomia de bateria em laptops.

Em publicação no blog de desenvolvedores, o gerente de programas da Microsoft, Raymond Li, apresentou alguns resultados de testes da nova funcionalidade. A empresa usou um sistema que simula trabalhos que demandam uso de CPU em segundo plano. Em um computador com CPU de desempenho limitado, acionar o Eco Mode fez com que alguns programas que mostram dificuldades em abrir passassem e ser mais velozes. Nos testes, o Word passou a ser 52% mais responsivo, o Edge, 49%; o Gerenciador de Tarefas, 76%; e o Menu Iniciar, 14%.

Resultados dos testes apresentados pela Microsoft (Foto: Divulgação/Microsoft)

Além disso, ao acionar o Eco Mode, Li notificou que houve “uma importante” melhoria em gerenciamento térmico, o que também impacta em menor uso da bateria.

O recurso ainda está em fase inicial de testes, sendo disponibilizado apenas para alguns poucos desenvolvedores. Assim sendo, ainda não há uma previsão de quando a novidade chegará a todos os usuários.

Fonte: Microsoft (1,2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.