Ubuntu poderá rodar nativamente no Windows 10

Por Redação | 30.03.2016 às 11:12

Temos aqui uma notícia que muita gente jamais acreditou que veria. Nesta semana, durante a conferência Build 2016, um dos principais anúncios deve ser a chegada oficial do Ubuntu ao Windows 10. O sistema operacional de código aberto deve passar a funcionar de forma integrada à plataforma proprietária, de forma a auxiliar desenvolvedores na criação de aplicações e, mais do que isso, no gerenciamento de servidores e outros aspectos da plataforma de cloud computing Azure.

É importante frisar que não estamos falando de uma máquina virtual, e sim de um suporte completo. De acordo com as informações extraoficiais, e ainda não confirmadas, a chegada do Ubuntu ao Windows 10 aconteceria por meio de uma parceria entre Microsoft e Canonical, a produtora dessa distribuição do Linux, que passaria a rodar simultaneamente junto ao sistema operacional da companhia de Redmond.

Não estamos falando também do funcionamento, apenas, da interface de comando Bash. Entretanto, também não é uma integração completa – os sistemas trabalhariam lado a lado, e não juntos, com o Linux rodando sobre uma fundação de bibliotecas básicas do Windows. A ideia é que todas as funções da distribuição rodem sobre o sistema operacional, mas a expectativa é que, pelo menos no início, nem tudo esteja disponível.

E para quem está achando tudo isso meio estranho, é importante citar que a aproximação maior entre Microsoft e Canonical não é de hoje. Desde o ano passado as empresas vêm trabalhando juntas com um sistema chamado LXD, que leva os contêineres do Linux para o Windows e dispensa o uso de máquinas virtuais. A nova empreitada seria um avanço ainda maior nessa união entre as duas plataformas.

Apesar de os usuários finais serem, provavelmente, capazes de rodar o Ubuntu sobre o Windows 10, o grande foco aqui são os desenvolvedores. A ideia das organizações seria focar ainda mais no mundo da computação nas nuvens, uma vez que, por mais que a esmagadora maioria das máquinas do mundo rodem o sistema operacional criado em Redmond, os servidores ainda operam sob uma arquitetura Linux. Com a união, devem vir também mais ferramentas para a criação de aplicativos e gerenciamento da rede do Azure, apesar de as informações extraoficiais ainda não terem comentado sobre essa questão.

Falta pouco para sabermos qual é a verdade. A conferência Build 2016 começa nesta quarta-feira (30), às 12h30, com uma keynote de abertura que deve trazer algumas das principais novidades para o consumidor final – a parceria entre Canonical e Microsoft, se real, não deve dar as caras aqui. Entretanto, até o dia 1º de abril estão marcadas uma série de palestras e encontros, e é em uma dessas que a companhia deve anunciar a união entre Windows 10 e Ubuntu, ou, pelo menos, mais desenvolvimentos no port de apps de uma plataforma para a outra.

Fonte: ZDNet