Microsoft confirma vazamento de código fonte do Windows 10

Por Redação | 26 de Junho de 2017 às 12h03

A Microsoft confirmou no fim de semana o vazamento de uma série de códigos fontes relacionados ao Windows 10, mais especificamente aos sistemas de conexão Wi-Fi, dispositivos USB e uso do armazenamento do sistema. Os dados surgiram no Beta Archive, site especializado em acompanhar os lançamentos e atualizações da plataforma. Apesar de confidenciais e inacessíveis ao grande público, tais códigos são compartilhados costumeiramente com fabricantes de computadores e desenvolvedores de aplicativos.

Os dados surgiram em um pacote com 1,2 GB de informação. Tais códigos são compartilhados com empresas parceiras de forma a garantir compatibilidade total entre o sistema operacional e sistemas proprietários ou de terceiros. Partes da recente Atualização para Criadores e de um sistema de adaptação de apps para dispositivos móveis ou com arquitetura ARM também vazaram.

A Microsoft disse ter tido acesso aos dados e confirmou que eles são reais. Entretanto, a ideia é que eles não representariam perigo para os usuários por se tratarem de códigos amplamente conhecidos, que já são divididos com parceiros normalmente. O site responsável pela disponibilização dos arquivos, entretanto, removeu o pacote do ar, embora a companhia afirme não ter feito nenhum pedido desse tipo, com a iniciativa sendo dos próprios responsáveis pelo vazamento.

O lançamento dos códigos na internet teria relação com as constantes tentativas de invasão que a Microsoft vem sofrendo. Tais atos teriam motivado uma investigação e levaram à prisão de dois ingleses na última semana. Segundo as informações das autoridades, o objetivo do grupo, composto por ainda mais pessoas e responsável por uma operação maior, seria o roubo de dados de usuários do Windows, algo em que não foram bem-sucedidos, mesmo com o acesso a uma parte dos sistemas da companhia.

A relação entre os casos vem da noção de que um dos acusados seria um participante frequente do Beta Archive. Existem especulações de que o vazamento, inclusive, seria uma forma de retaliação pela prisão do hacker, mas a identidade do responsável pela liberação dos dados ainda não foi revelada – nem deve ser, já que o site evita falar sobre seus usuários.

As tentativas de obtenção de dados e invasões ocorreram entre janeiro e março deste ano, com a polícia afirmando que os responsáveis teriam conseguido baixar pelo menos algumas informações dos servidores da Microsoft. Originalmente, a empresa não confirmou que seus sistemas foram efetivamente invadidos, mas disse ter detectado os ataques e estar trabalhando com a polícia para captura de todos os envolvidos.

Fontes: The Verge, Beta Archive

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.