Microsoft começa a remover emuladores da loja do Windows 10

Por Redação | 06.04.2017 às 13:45

A Microsoft segue empenhada em seu objetivo de fazer com que o Windows 10 se torne uma plataforma de jogos. Além de todas as novidades que o sistema carrega e mais as adições que chegaram junto com a Creator Update. A própria Windows Store é uma forma de a empresa centralizar todos os títulos e fazer sua própria versão da Steam. E, exatamente por isso, ela segue bastante rígida em suas políticas do que é ou não permitido aos desenvolvedores, tanto que ela acaba de fazer uma limpa em alguns aplicativos.

Nesta semana, apps que emulavam jogos antigos foram simplesmente removidos da loja. Foi o caso do Universal Emulator, desenvolvido pelos mesmos criadores do Nesbox e voltado para que jogadores revivessem memórias de clássicos da Nintendo e da SEGA. O aplicativo era um dos mais populares do gênero e trazia opções para que os jogadores rodassem ROMs de Super Nintendo, Mega Drive e até do Game Boy Advance com suporte ao controle do Xbox One. Porém, isso pouco importou para a Microsoft, que tirou tudo do ar.

E, embora o programa ainda possa ser encontrado para download em páginas alternativas, a própria desenvolvedora confirmou a ação da empresa dentro da loja. Segundo a Nesbox, a Microsoft alterou os termos de uso da Windows Store no último dia 29 e adicionou uma cláusula de bania emuladores. Como aponta o site The Verge, essa proibição não estava presente na versão anterior dos termos, atualizados em janeiro. Ou seja, trata-se de uma mudança de postura bastante recente.

A Microsoft não é a única a adotar essa caça às bruxas aos programas de emulação. A Apple é bem famosa por ser bastante criteriosa em sua loja digital, impedindo qualquer aplicativo do gênero de aparecer no catálogo. Em compensação, a Google segue sendo permissiva e fazendo vistas grossas a esse tipo de app, o que faz do Android um verdadeiro paraíso para quem sente falta de um bom Super Nintendo. O problema é que, no caso do Universal Emulator, ele contava com o diferencial de trazer suporte a controles, algo que ainda é um pouco limitado nos smartphones.

Via: The Verge