Funções de monitoramento chegam também aos Windows 7 e 8

Por Redação | 01 de Setembro de 2015 às 15h22

Parece que as funções esquisitas e que beiram a invasão de privacidade não são mais uma exclusividade do Windows 10. Recentes atualizações das versões 7 e 8 do sistema operacional também trouxeram os recursos de telemetria disponíveis na nova versão do sistema operacional para as antigas, que podem estar coletando dados sobre seu acesso a este site neste exato momento, enquanto você lê esta notícia.

Responsáveis por muitas críticas à Microsoft desde antes da chegada do Windows 10, as funcionalidades de telemetria permitem que a empresa tenha acesso ao histórico de uso e hábitos dos usuários. Na teoria, isso serve para que a desenvolvedora possa conhecer exatamente quais são as funções favoritas dos clientes, onde os problemas acontecem e quais são os pontos que merecem atenção.

Na prática, porém, praticamente tudo o que é feito no computador pode acabar sendo compartilhado com a Microsoft. Trocas de mensagens, ordens dadas para a Cortana, aplicativos instalados e utilizados, sites acessados, enfim, boa parte do histórico de utilização da máquina pode ser enviada para a empresa, e os usuários possuem poucas opções para bloquear isso.

São quatro as atualizações, sendo duas mandatórias e duas opcionais, porém, recomendadas. Em todas, estão descritas as adições relacionadas ao “Programa de Aperfeiçoamento da Experiência do Usuário”, como a Microsoft chama o sistema que permite o acesso às informações dos usuários para melhoria do sistema operacional.

Alguns softwares, por exemplo, são capazes de ter sua utilização ocultada das ferramentas de telemetria. Firewalls e softwares de antivírus também podem ser configurados para impedir o compartilhamento, mas mesmo tais funções estão longe de ser suficientes ou acabar completamente com o recurso, além de, possivelmente, causarem problemas de funcionamento e incompatibilidade no sistema.

Até mesmo usuários mais avançados podem ter dificuldade em fazer isso nas configurações de seus roteadores, uma vez que a conexão para envio dos dados à Microsoft é segura. Feita pelo protocolo HTTPs, a ligação é considerada protegida e, sendo assim, liberada por padrão.

Os usuários que não quiserem ser monitorados, então, devem desinstalar ou bloquear a instalação das atualizações KB 3068708, 3022345, 3075249 e 3080149, todas por meio do Windows Update. Não se sabe ao certo se esse bloqueio pode interferir em alguma coisa no futuro, ou se updates vindouros também incluirão os sistemas de telemetria como parte de novas funcionalidades. Mas, por enquanto, essa é a maneira de impedir sua aplicação.

A descoberta de tais recursos, ainda, somente foi possível devido ao fato de ainda existirem notas de atualização para os Windows 7 e 8. Recentemente, a Microsoft mudou suas políticas com relação a isso, deixando de detalhar os updates lançados para a versão 10 do sistema operacional, outra alteração que motivou críticas de especialistas.

Afinal de contas, a inexistência de documentação faz com que o usuário tenha que realizar o processo às cegas, e caso enfrente um problema, terá dificuldades em saber exatamente o que o está causando. As descrições, agora, são genéricas e curtas, o que pode acabar dificultando a vida dos usuários no caso de problemas ou updates que causem travamentos.

Oficialmente, a Microsoft nega que o sistema de rastreamento e telemetria invada a privacidade dos usuários. A empresa garante que todas as informações compartilhadas com seus servidores são anonimizadas, de forma a proteger a identidade dos clientes, e utilizadas em lotes, não individualmente, apenas para fins de análise e localização de eventuais problemas e soluções.

Fonte: Extreme Tech