Como atualizar um PC mais antigo para o Windows 10?

Microsoft
Tudo sobre

Microsoft

Saiba tudo sobre Microsoft

Ver mais

Segundo o site alemão de estatística e análise de mercado Statista, o Windows 10 já é o sistema operacional da Microsoft com maior penetração de mercado. Entretanto, ao contrário que se possa pensar, essa maioria não é tão ampla assim: 55,77% dos usuários estão atualizados com a plataforma mais recente, o que significa que os demais 44,23% ainda rodam versões antigas do Windows.

Isso vem criando dores de cabeça especificamente em usuários do Windows 7, que, segundo o Statista, correspondem a 33,41% da base da Microsoft (isso também um atestado do erro colossal que foi o Windows 8, que tem base de apenas 6,27% mesmo sendo mais novo que o 7).

O motivo para isso é óbvio: a Microsoft anunciou que, em janeiro de 2020, vai abandonar o suporte ao Windows 7 e, embora a decisão faça muito sentido sob o ponto de vista dos negócios, é inegável que a empresa corre o risco de alienar quase 40% de seus clientes. Pior ainda, há casos em que as máquinas que rodam Windows 7 trazem configuração de hardware antiquadas e, por mais que seja recomendável o upgrade do equipamento, algumas pessoas simplesmente não querem se dar a esse trabalho ou não possuem o conhecimento técnico para isso.

Pensando nesse público, o Canaltech decidiu fazer este tutorial para mostrar como é possível tirar proveito dos benefícios de se atualizar para o Windows 10 mesmo com uma máquina antiga.

Statista: adoção do Windows 7 ainda é grande no mercado global, mesmo com o Windows 10 disponivel há quatro anos (Captura de Imagem: Rafael Arbulu)

Um pouco de história

Entre os anos de 2014 e 2015, a Microsoft ofereceu uma atualização gratuita para o Windows 10 destinada a usuários do Windows 7 e 8, livre de custos. Quem perdeu o benefício acabou tendo de pagar pela atualização para a nova plataforma, que constituía da checagem de sistema via ferramenta online “Compatibility Checker” (“Verificador de compatibilidade”) para aferir as capacidades da máquina de rodar o então recém-lançado sistema operacional.

Essa ferramenta, já há muito descontinuada pela Microsoft, tinha uma taxa moderada de acerto, o que significa que, mesmo que ela dissesse que o PC não era compatível e tecnicamente ela estivesse correta nessa afirmação, não necessariamente seu aparelho estaria incapacitado de receber a atualização.

Normalmente, o próprio fabricante do PC poderia lhe informar da compatibilidade da máquina com o Windows 10, mas a primeira coisa a ser feita é baixar o Assistente de Atualização do Windows 10, que vai fazer duas coisas importantes: a primeira é rodar uma avaliação completa do seu sistema e hardware para aferir suas capacidades frente ao novo sistema operacional. A segunda é dizer qual versão do Windows 10 é mais recomendada para a sua configuração.

Pela ferramenta de criação de mídia da Microsoft, você deve escolher a segunda opção, para uma instalação limpa (Captura de Imagem: Rafael Arbulu)

A partir daqui, dois rumos poderão ser seguidos: ou o próprio assistente vai iniciar o processo de atualização automaticamente; ou ele recomendará que você mesmo faça a atualização por meio da ferramenta Media Creation Tool. Para dar segmento ao nosso tutorial, vamos presumir que a segunda opção será a escolhida. Por meio da Media Creation Tool, basicamente você poderá criar uma imagem do Windows 10, em uma mídia separada: um pendrive ou DVD, se seu PC for da época em que drives de disco físicos eram padrão no mercado.

Executando a instalação, certifique-se de escolher a opção de “Instalação limpa” (Clean) a fim de evitar potenciais erros durante o processo. Faça um backup completo do seu sistema operacional e dados atuais: diante de qualquer erro, você poderá reverter a situação ao que você tem agora, sem perder nada importante. O próprio Windows tem essa função disponível, mas também há softwares gratuitos para isso disponíveis para download.

No aspecto técnico, considere que você deve estar usando a última versão da BIOS da fabricante de sua máquina. Preferencialmente, deixe os ajustes da BIOS dentro do padrão de fábrica: erros de instalação também podem ser atribuídos a ajustes customizados nessa área, então não mexa neles, por garantia.

Após o processo de instalação finalizar, parabéns, você agora tem o sistema operacional mais atual da Microsoft rodando em sua máquina. Aqui, valem alguns pontos importantes: não estranhe se uma queda de desempenho permear seu desktop/laptop — lembre-se: sua configuração de hardware é antiga e rodava um sistema operacional duas gerações anteriores ao mais recente. Em casos assim, é comum considerar que sistemas operacionais mais novos foram feitos para máquinas mais novas e não respondem muito bem a hardware antigo.

Não deu. Eu desisto!

Calma. Se a instalação do Windows 10 não deu certo ou se o processo de construção de imagem e análise de hardware parecer complicado ou lento demais para você, ainda existem opções: você pode tentar fazer o upgrade para o Windows 8.1, por exemplo. Não é, obviamente, a opção mais atual do sistema operacional, mas ao menos o suporte a ele segue vigente por mais uns três anos, o que deve lhe garantir um tempo extra até que você providencie uma máquina mais contemporânea. Ele também está disponível gratuitamente, o que é uma ótima notícia se você reconsiderar a ideia e desejar voltar ao 7 ou tentar o 10 novamente. Seu bolso segue intacto.

Se você absolutamente não quer o Windows e considera outras opções, o Linux pode ser uma segunda via. Se você tem receio de instalar um sistema operacional de código aberto sem ter o devido conhecimento de como manuseá-lo, existe a opção do Linux Mint, que basicamente roda o SO de um disco, sem a necessidade de instalação direta. Assim, se você não se habituar ou desejar voltar ao Windows 7, não terá nenhum trabalho em fazê-lo.

O Linux Mint permite que você rode o sistema operacional de código aberto a partir de uma mídia externa (CD, DVD, Pendrive) e pode ser uma opção viável para quem não quer ou não consegue usar o Windows 10

Os links das ferramentas referidas neste tutorial estão posicionados abaixo. Tem alguma dúvida ou sugestão de tutorial que você queira ler aqui no Canaltech? Conte para nós nos comentários e nossa equipe vai pesquisar as informações necessárias, a fim de montar uma matéria bem completa e detalhada para ajudar você e todos os nossos leitores!

Fonte: Statista; Microsoft (página do Windows 10); Media Creation Tool (link para download)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.