Atualização do Windows 10 remove Flash do sistema operacional

Por Felipe Demartini | 28 de Outubro de 2020 às 10h57

A Microsoft liberou nesta semana uma atualização opcional para o Windows 10 que remove completamente o Flash da plataforma. O update está relacionado a uma versão nativa da tecnologia que está presente desde os primórdios do sistema operacional e é voltada para que ela rode não mais nos dispositivos — instalações individuais, entretanto, ainda são permitidas, ainda que não recomendadas, e uma vez instalado, o patch não poderá ser removido do dispositivo.

A mudança acompanha o fim do suporte oficial da Microsoft à tecnologia, que se encerra no final deste ano. Com isso, e por mais que o update opcional não os atinja, atualizações relacionadas ao Flash para os navegadores Edge e Internet Explorer não serão mais liberadas, com a instalação divulgada nesta semana servindo para, segundo a empresa, que os usuários testem seus ambientes de trabalho e plataformas em busca de problemas que possam ser resolvidos antes do encerramento completo.

De acordo com o calendário do Windows 10, a atualização atual voltará a ser distribuída de forma opcional no começo do ano que vem até se tornar mandatória em meados de 2021. Com isso, políticas de grupo, interfaces de usuário e frameworks de desenvolvimento relacionados ao Flash serão completamente removidos do Windows 10 e do Windows 8.1, que também se encaminha para o final de seu ciclo de vida.

A depreciação do Flash, que já foi uma das tecnologias mais utilizadas para animações, websites e desenvolvimento de interfaces para internet, começou oficialmente em julho de 2017, quando a Adobe anunciou o fim de 2020 como o encerramento de seu ciclo de vida. Há quem diga, entretanto, que esse processo foi iniciado de verdade em 2010, quando a Apple lançou o iOS sem suporte à tecnologia, ao mesmo tempo em que fomentava a adoção do HTML5 como alternativa.

As mudanças, geradas principalmente por questões relacionadas à segurança das aplicações e da necessidade constante de atualizações, também atingiu diretamente os desenvolvedores de browsers. Google e Mozilla, por exemplo, também estão finalizando o suporte ao Flash no Chrome e Firefox, já tendo deixado de exibir os prompts de instalação do player há alguns anos e não mais exibindo sites que ainda utilizem a plataforma entre o final deste ano e o começo do próximo, com mensagens aos usuários indicando isso.

Além disso, de acordo com a Adobe, diálogos solicitando a desinstalação do Flash passarão a ser exibidas aos usuários que ainda o tiverem em suas máquinas a partir do ano que vem, enquanto sites são incentivados a removerem links que levem os usuários a baixarem a tecnologia. O legado de animações, interfaces, jogos e demais desenvolvimento que, até então, usavam o recurso passam a estarem disponíveis em outros softwares da empresa como o AIR e o Animate, além de soluções desenvolvidas por terceiros.

Fonte: Microsoft

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.