Agora você pode ver quais dados o Windows 10 envia para a Microsoft

Por Redação | 25 de Janeiro de 2018 às 10h57
TUDO SOBRE

Microsoft

Desde o lançamento do Windows 10, a Microsoft vem sendo criticada pela exigência de compartilhamento de dados de utilização, uma característica obrigatória para quem quiser utilizar o sistema operacional, da qual ela nunca abriu mão. Agora, entretanto, a empresa vai liberar uma ferramenta que dará mais detalhes sobre o que, exatamente, está sendo enviado de volta à companhia.

O “Visualizador de Dados de Diagnóstico do Windows” estará disponível em breve na loja oficial da plataforma e será gratuito. Ao ser executado, ele mostrará todas as instâncias em que o sistema de telemetria do Windows 10 foi ativado e quais informações foram compartilhadas com a Microsoft naquele momento, bastando um clique para visualizar tudo.

A proposta está sendo chamada de “uma nova camada de transparência” pela empresa e, de acordo com Marisa Rogers, sua diretora de privacidade, vem justamente para atender aos pedidos dos utilizadores. Hoje, eles contam apenas com duas configurações bastante básicas para, pelo menos, restringir o envio de dados — uma opção completa, que manda absolutamente tudo o que é possível, e outra básica, que vem ativada por padrão no sistema operacional.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Desde já, a executiva deixou claro que nenhuma das informações compartilhadas viola a privacidade de seus usuários. Sem falar em quais dados são compartilhados por cada uma das categorias, entretanto, Rogers divulgou uma lista das informações que são enviadas pelo Windows 10 de volta à Microsoft:

  • Informações do sistema operacional, versão, atualizações instaladas, número serial do dispositivo e recursos de interatividade (como uso de mouse ou touchscreen);
  • Configurações relacionadas à conectividade, configuração de adaptadores de rede e outras formas de acesso presentes na máquina;
  • Consumo de bateria e energia, utilização da rede e demais informações sobre utilização e recursos do sistema (sem que aplicativos em utilização ou o tempo que o usuário passa neles seja revelado);
  • Softwares instalados ou removidos do sistema e histórico, o que inclui também atualizações de sistema.

Segundo Rogers, a ideia da ferramenta é comprovar aos usuários a verdade do que está sendo dito: que a Microsoft coleta, apenas, dados técnicos sobre suas máquinas para avaliação e melhoria do próprio sistema operacional. Além disso, a ideia é deixar claro que isso acontece, já que, na visão da própria empresa, muita gente, mesmo após anos de uso do Windows 10, ainda se surpreende ao descobrir sobre a telemetria.

Além do sistema operacional em si, serviços como Bing, Cortana e outros também ganharão opções dedicadas exclusivamente para esse fim, também de forma a exibir histórico compartilhado e informações coletadas pela Microsoft. Mais uma vez, o objetivo é o mesmo: garantir a todos que sua privacidade está protegida.

Como sempre acontece com as novidades do sistema operacional, a ferramenta que revela a coleta de dados do sistema será disponibilizada primeiro aos usuários Insider do Windows 10. A Microsoft não revelou a data de lançamento da aplicação, mas disse que ela não deve demorar para chegar.

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.