Termos de uso do Windows 10 incluem keylogger para envio de caracteres digitados

Por Redação | 07 de Outubro de 2014 às 15h55
photo_camera Divulgação

Na semana passada, a Microsoft anunciou o seu novo sistema operacional, batizado de Windows 10, já o disponibilizando publicamente por meio de uma versão preview para desenvolvedores. No entanto, quem já fez o download e está utilizando o novo sistema, mas não leu os termos de utilização do Windows 10 preview, pode ficar surpreso com algumas políticas estranhas da Microsoft.

Essas políticas disponíveis nos termos de utilização dão toda a liberdade para a Microsoft obter informações dos utilizadores de diversas formas diferentes. Alguns que tiveram o trabalho de ler todo os termos de uso do Windows 10 alertam para políticas de privacidade incomuns definidas pela empresa desenvolvedora do software.

Windows 10 configurações

Os termos mostram que, na prática, a Microsoft possui o direito de recolher informações dos utilizadores, como nome, e-mail, preferências, pesquisas realizadas, chamadas telefônicas, configurações e outras, que incluem informações transmitidas por voz para o software.

Até mesmo abrir uma simples pasta pode enviar informações para a empresa, que pretende recolher informações sobre a pasta ou o arquivo executado e ainda os caracteres digitados por meio de um keylogger. Para quem não conhece, um keylogger é responsável por gravar tudo o que um usuário digita em seu computador, ou em momentos específicos (para saber mais clique aqui).

A Microsoft, porém, deixa bem claro que toda a informação recolhida será sempre utilizada para o aperfeiçoamento do sistema, como um feedback automático dos usuários. Muitos utilizadores, no entanto, temem que essas informações caiam em poder de terceiros que podem utilizar esses dados para outras finalidades.

Atualização: segundo o site Geek.com, o keylogger presente no Windows 10 não está lá para roubar dados bancários ou credenciais de sites. A função do aplicativo é colher informações sobre o que está ou não está funcionando no Windows 10 preview. Assim, o keylogger serve como um auxiliar à Microsoft, ajudando-a a corrigir bugs, melhorar recursos e deixar a plataforma mais "redonda".

Aliás, essa é uma técnica comumente usada pelas companhias quando o software está em fase de testes ou preview. Tanto que a Microsoft não ocultou o uso do software em seus termos de uso, e pretende continuar a compartilhar informações sobre como os dados de usuários são coletados e usados – até que a versão final do Windows 10 esteja disponível para download.

Fonte: http://pplware.sapo.pt/windows/windows-10-preview-traz-umkeylogger/

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.