Pesquisa: metade das empresas brasileiras ainda não abandonou o Windows XP

Por Redação | 25.11.2014 às 18:41
photo_camera Divulgação

Uma pesquisa realizada pela empresa norte-americana Tech Pro Research aponta que pelo menos 89% das empresas dos Estados Unidos ainda utilizam computadores com o sistema operacional Windows XP, mesmo após a Microsoft ter encerrado suporte ao sistema em abril deste ano.

O índice é semelhante ao que acontece aqui no Brasil, segundo estimativas da MR Consultoria, companhia especializada em outsourcing e consultoria em tecnologia da informação. Segundo Sérgio Santiago, chefe de operações da empresa, o fim do suporte ao Windows XP expõe essas máquinas a diferentes tipos de malwares e ataques.

“Estamos atendendo muitas empresas que precisam migrar centenas ou milhares de computadores que usam o Windows XP para novas plataformas como Windows 7 e 8. O problema é que essa migração não é simples, pois exige fazer o back-up de dados do computador antes do upgrade de sistema operacional”, explica Santiago.

Para o COO da MR Consultoria, pelo menos 37% das corporações americanas decidiram não fazer nada por enquanto – ou seja, optaram por continuar com o Windows XP mesmo sabendo que a plataforma não receberá mais atualizações de segurança. No Brasil, esse índice pode chegar a 50% das empresas locais.

Segundo a pesquisa, entre as 89% companhias dos EUA que usam Windows XP, 37% planejam atualizar para Windows 7, 11% vão migrar para Linux, 5% vão diretamente para o Windows 8 e apenas 1% estuda mudar para o sistema da Apple, o Mac OS X. Nas empresas brasileiras, Santiago acredita os números serão diferentes, uma vez que migrações para Linux ou OS X não devem ter muitos adeptos por aqui.

"Como o sistema era muito estável, vimos muitas empresas criando soluções de gestão integradas ao Windows XP, o que gera um problema enorme para a migração. Por exemplo: há entidades do segmento financeiro que têm toda a sua rede de caixas automáticos, com mais de 50 mil equipamentos, utilizando Windows XP, o que cria um enorme problema para a migração rumo ao Windows 7 ou outra solução, uma vez que esses caixas automáticos conversam diretamente com o computador central do banco", diz.

Ainda de acordo com informações do relatório, a mesma desculpa utilizada pelos dirigentes das empresas norte-americanas que decidiram ficar no Windows XP também é utilizada aqui no Brasil. “Eles dizem: 'Se está funcionando, por que vou mudar?' Esse mesmo tipo de mentalidade é aquela que só vai se mexer quando o ataque de um vírus comprometer várias máquinas na empresa ligadas ao atendimento a clientes ou a operações financeiras, o que pode significar uma perda incomensurável para uma empresa de pequeno ou médio porte. Por isso estamos orientando nossos clientes em todo o Brasil a agirem antes que sejam vítimas de um problema como esse”, conclui Santiago.