Como melhorar a performance do Windows 8

Por Muni Perez

Se você já usa Windows há algum tempo, já está familiarizado em melhorar a performance mexendo nos arquivos de paginação, editar o registro, usar limpadores de disco etc. Mas à medida que as versões avançaram, o Windows melhorou bastante na automação dessas tarefas. No Windows 8 a melhor maneira de otimizá-lo é utilizar as ferramentas que já vêm com ele, incluindo o Gerenciador de Tarefas, o Monitor de Recursos e o Monitor de Confiabilidade.

Mas por algum motivo, a maioria das ferramentas administrativas mais úteis estão escondidas (talvez para evitar que algum usuário sem experiência acabe danificando o sistema, mexendo onde não deveria). Então, a primeira coisa a ser feita é tornar essas ferramentas visíveis. Na tela inicial (onde aparecem os Tiles), pressione as teclas “Windows + I”. Nas configurações que aparecerem, clique em "Tiles" e habilite a opção das ferramentas administativas.

Repare que agora, no final dos tiles, aparecem novas opções com diversas ferramentas do sistema.

Hab ferramentas administrativas - Mini - Windows 8

1 – Monitor de Recursos

Essa ferramenta é excelente para monitorar a performance e efetuar reparos que a afetam. O Monitor de Recursos mostra o quanto de recursos o sistema está usando, além de exibir quais programas e serviços estão consumindo a maior quantidade deles. Você ainda tem a opção de fechar os que não estiverem mais em uso.

Para executá-lo, na página inicial, digite “resmon” e abra o “resmon.exe”. Mas é necessário que você tenha permissões administrativas para executá-lo.

No Monitor de Recursos, comece por Visão Global. Do lado esquerdo fica uma lista detalhada de cada processo, e do lado direito, gráficos de utilização em tempo real.

Nas abas você monitora cada recurso e, em cada uma delas, mais informações relevantes e específicas são exibidas. Por exemplo, a aba Memória exibe informações sobre os processos que usam mais memória, processos no cache e quanto de memória você tem livre.

Os processos que consomem mais recursos são mostrados no topo da lista, e caso você veja algum que esteja consumindo bastante, é só clicar com o botão direito e selecionar a opção “Terminar processo” para fechá-lo.

Vale ressaltar que a maioria das informações no Monitor de Recursos também está presente no Gerenciador de Tarefas, que foi bem melhorado no Windows 8.

Monitor de Recursos Windows 8

2 – Monitor de Confiabilidade

Com ele é possível monitorar a estabilidade através de um histórico, que inclui informações detalhadas de falhas do sistema. Com essas informações, você pode encontrar facilmente os problemas e tomar as medidas necessárias para resolvê-los.

Para abrir o Monitor de Confiabilidade, digite “confiabilidade” na página inicial, clique em “Configurações” e abra “Ver histórico de confiabilidade”.

A tela exibe informações, avisos e eventos críticos. Pelos ícones é possível identificar os dias em que cada ocorrência aconteceu. Você também pode filtrar a linha do tempo por dias ou semanas.

Ao clicar em determinado dia, as eventuais falhas, problemas e avisos serão listados um por um, detalhadamente, e com uma ação a ser executada relativa a cada falha.

Monitor de Confiabilidade 2 - Windows 8

3 – Monitor e Relatório de Performance

O Windows 8 inclui um Monitor de Performance que reúne uma grande quantidade de dados sobre o assunto. É um pouco difícil de interpretar esses dados, mas você pode criar um relatório detalhado da performance do seu sistema. Para isso, na página inicial, digite “perfmon /report”. Aguarde um ou dois minutos que um relatório interativo aparecerá.

São muitas informações, e as mais importantes são os reportes de erros, que ficam no início do relatório. Para cada erro ou problema, ele apresenta as causas, os sintomas e possíveis soluções, além de links para alguma informação útil.

Monitor de Performance - Windows 8

4 – Elimine programas desnecessários da inicialização

Outra causa recorrente de lentidão no Windows é a infinidade de programas que são carregados na inicialização do sistema. Muitas vezes o usuário instala vários programas e não sabe que ele entra para a lista de inicialização automática.

Para ver quais são esses programas e controlá-los, abra o Gerenciador de Tarefas, clique na aba “Inicialização” e clique no programa desejado. No rodapé aparece um botão para desabilitá-lo. Deixe apenas aqueles extremamente necessários. Caso algum programa tenha vários processos, uma seta aparecerá do lado esquerdo. Não é aconselhável desabilitar alguns e deixar outros processos de determinado programa, pois isso pode causar instabilidades.

Caso esteja na dúvida sobre certo programa, clique com o botão direito e vá em “Propriedades”, assim você verá mais detalhes sobre ele. Muito útil também é a opção “Pesquisar online”, que abrirá o Bing, que te dará mais informações.

Outra maneira de eliminar o que você não quer da inicialização é ir na pasta “Inicializar” do Menu Iniciar. Abra o Windows Explorer (tecla Windows + E), verifique se os arquivos ocultos estão visíveis (na aba visualizar, selecione a opção "Arquivos Ocultos") e navegue até a pasta:

C:\Usuários\nome de usuário\AppData\Roaming\Microsoft\Windows\Menu Iniciar\Programas\Inicializar

Agora, apague os atalhos que julgar desnecessários.

5 – Habilitar a Inicialização Rápida

Outro ítem que vale a pena verificar é se o modo Inicialização Rápida está ativado. Ele é um híbrido do ligar/desligar normal e a hibernação: quando você desliga o computador, as sessões dos usuários são fechadas, mas o Kernel do Windows fica salvo no HD (hibernação), então, quando você liga o sistema novamente, ele carrega o kernel salvo, reduzindo o tempo de inicialização. Esta opção é ativada por padrão, porém é bom verificar se ela está mesmo ativada. Para isso, na tela inicial digite “Energia”, clique em “Configurações” e “Opções de Energia”. Em seguida, no painel esquerdo clique “Escolher a função dos botões de energia” e verifique se a opção está ativada

Energia - Windows 8
Inicialização rápida - Windows 8

6 – Verifique e ajuste a performance pelo Gerenciador de Tarefas

Abra o Gerenciador de Tarefas. Ele tem dois modos: um simplificado, mostrando apenas o que está aberto atualmente, e uma visão mais detalhada, com várias informações sobre o desempenho. Caso tenha algum programa travado ou que está consumindo recursos demais do sistema, basta selecioná-lo na lista e clicar em “Finalizar tarefa” no rodapé.

Ao clicar com o botão direito, várias opções aparecem. Você pode criar um “Arquivo de Despejo”, que salvará o estado atual do programa com todas as suas informações, sendo útil para, caso tenha algum problema, os desenvolvedores serem capazes de identificar e corrigir o erro.

A aba Desempenho é bem útil em mostrar as informações sobre a performance. Você pode alterar a frequência de atualização dos dados (por padrão é 2 segundos). Clique em “Exibir” e “Atualizar velocidade”. Na opção “Alta”, a atualização é de 2 vezes por segundo; na “Lenta” é a cada 4 segundos.

Na aba “Histórico de Aplicativos” você vê, como o próprio nome diz, um relatório de uso de todos os aplicativos. Por padrão, ele só mostra os dados das aplicações Metro do Windows 8, como email, loja, notícias, pessoas, música, etc. Mas você pode exibir de todos os programas instalados, basta clicar em “Opções -> Exibir histórico para todos os processos”.

A informação mais útil é sobre o uso da rede. Rede limitada é a rede que você paga por ela (3G), então é fácil você identificar os programas que utilizam a maior quantidade de banda.

Agora, se você olhar o histórico do Google Chrome, por exemplo, é de se esperar que ele tenha consumido uma grande quantidade de banda. Porém, se você vê um aplicativo que o foco não seja a Internet (que não seja sua função principal) utilizando uma grande quantidade de banda, isso pode indicar um problema. A melhor solução é desinstalar o programa, passar um anti virus e procurar um programa alternativo.

7 – Usuários

Na aba “Usuários” você pode ver os usuários do sistema e a quantidade de recursos utilizados por ele. Caso o uso seja muito alto, deixando o computador lento, tente entrar nele e fazer logoff, ou pode também ver quais processos estão consumindo muito e fechá-los.

8 – Prioridade de processamento

Você pode classificar os aplicativos em prioridades no acesso ao processador. Isso é útil quando você quer utilizar um programa que requer muita CPU, como editores de vídeo, imagem e som, ou até mesmo jogos. Para isso, basta ir na aba “Detalhes” e selecionar o processo desejado, com o botão direito definir a prioridade.

Prioridade de processamento - Windows 8

Caso a mudança na prioridade cause instabilidades, volte-a para “Normal” ou simplesmente feche o aplicativo. A prioridade só é válida enquanto o processo está em execução, ou seja, após fechá-lo, a prioridade volta ao normal.

9 – Otimize os drives do computador

À medida que você usa o computador, com o tempo o HD torna-se lento. Para isso, basta utilizar o desfragmentador de discos. Para abrí-lo, na tela inicial digite “Desfragmentador”.

Na tela inicial ele indica quais os drives atualmente conectados, e seu status (se é necessário otimizar).

Tem também a otimização agendada, que deve estar ativada por padrão. Clicando em “Alterar configurações” você pode alterar a frequência das verificações.

Com essas dicas, já é possível aumentar significativamente o desempenho do seu Windows. Outras dicas úteis são:

  • Fechar os programas que não for mais usar (coloque a seta do mouse no topo da tela, clique e arraste para baixo)
  • Instalar apenas programas confiáveis e ficar atento aos malwares
  • Desinstale programas que não serão mais usados.

Tem mais algumas dicas? Deixe para nós nos comentários!

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.