10 hábitos que todo usuário de Windows deve cultivar

Por Joyce Macedo

Apesar de muitas pessoas não gostarem de seguir uma rotina, sabemos que às vezes é necessário cultivar alguns (bons) hábitos. E isso se aplica a diversos setores da nossa vida, entre eles a tecnologia. Você já parou para avaliar quantas informações cruciais você guarda na sua máquina? Agora imagine que, por um descuido que poderia ser evitado, você perca tudo. Na maioria das vezes, deixamos de tomar algumas medidas simples de precaução por não saber sua devida importância ou então por pensarmos que será uma tarefa muito trabalhosa.

Mas saiba que a realidade é outra. Com algumas pequenas dicas que você deve se habituar ao usar seu computador com Windows, sua experiência com o sistema operacional da Microsoft pode se tornar a melhor possível. Com o lançamento do Windows 10 batendo à nossa porta, este é um bom momento para criar novos hábitos e passar a dar mais atenção a coisas que você tem ignorado no software. Separamos algumas recomendações.

1. Não use uma conta de administrador para executar tarefas diárias

Usar uma conta de administrador no Windows pode nos dar mais controle sobre o sistema operacional, mas usar uma conta principal com privilégios administrativos elevados pode resultar em danos significativos e comprometimento da segurança do seu sistema. Essa ação é ainda mais relevante quando falamos em contas novas da Microsoft.

Para determinar o tipo de conta de usuário, basta buscar a opção "Contas de Usuários" na pesquisa do Windows. Em seguida, "Contas de Usuário" e escolher entre usuário padrão e administrador.

No menu de "Contas de Usuário", a própria Microsoft explica porque é indicado usar uma conta padrão em vez de uma conta administrador. De acordo com a empresa, a conta padrão pode ajudar a proteger seu PC, impedindo que os usuários façam alterações que afetem todos os que usam o computador, como excluir arquivos necessários para o funcionamento do dispositivo.

Tipo de usuário Windows

Imagem: Canaltech

Criar uma segunda conta de usuário com privilégios de administrador e reduzir sua conta principal para uma conta padrão pode proporcionar a você o melhor dos dois mundos: um maior nível de segurança, sem abrir mão do controle.

2. Foco nas atualizações

Aqui no Canaltech sempre batemos na tecla da extrema importância das atualizações em todas as plataformas. A maioria dos updates traz correções de bugs, melhorias e até mesmo novos recursos. Mas a atualização não se resume apenas ao sistema, é preciso ir além. Veja alguns updates essenciais que você não deve deixar passar:

Atualização do Windows

Vamos começar com o habito mais básico: atualizar o sistema operacional. Muitas vezes você pode se deparar com um pedido de update do Windows e dizer: "Ué, mas eu tenho mesmo que fazer isso? Eu atualizei o Windows um dia desses!". O fato do seu computador estar funcionando de maneira satisfatória sem a última atualização disponibilizada não significa que ela é desnecessária. Afinal, a Microsoft (e outras fabricantes de software) não se daria ao trabalho de criar um novo update sem motivos.

A Microsoft utiliza o Windows Update para disponibilizar correções de vulnerabilidades que podem permitir que hackers invadam seu computador e, apesar da maioria delas rodarem automaticamente, algumas ainda precisam da sua ajuda. Você pode configurar o Windows para instalar as atualizações importantes (que trazem benefícios significativos, como segurança e confiabilidade aprimoradas) e as recomendadas (são opcionais e podem solucionar problemas não críticos e ajudar a aprimorar sua experiência), ou apenas instalar atualizações importantes.

Se você não desejar que os updates sejam instalados de forma automática, poderá optar por ser notificado quando eles se aplicarem ao seu computador e, em seguida, você mesmo pode baixá-los. Para verificar as configurações de atualizações do Windows, basta abrir o menu Iniciar, digitar "Update" na caixa de pesquisa e, na lista de resultados, clicar em Windows Update.

Windows Update

No painel do lado esquerdo da tela, clique em "Alterar configurações" para escolher a opção de atualização automática ou manual. Se você não tem certeza se deve instalar uma determinada atualização, é só fazer uma rápida pesquisa online para ver se há alguma repercussão negativa por instalar esse update – como no ano passado, quando uma atualização do Windows 7 causou problemas, mas a correção foi largamente noticiada.

Windows Update

É importante destacar que o Windows 10 não irá oferecer tanta flexibilidade no Windows Update, já que as atualizações não serão opcionais. Pelo lado positivo, isso significa que seu sistema estará sempre atualizado.

Atualização de drivers

A atualização de drivers não é uma tarefa que deve ser realizada diariamente, mas é algo que você sempre precisa estar de olho. Basicamente, os drivers são pequenos elementos de software que permitem a comunicação entre o sistema operacional e um equipamento, como impressoras ou placas de vídeo.

Apesar desse tipo de atualização e da manutenção preventiva do computador sempre serem altamente recomendadas, existe uma regra básica para lidar com os drivers: se não estiverem quebrados, não os conserte.

Atualização de softwares de terceiros

A atualização de softwares de terceiros muitas vezes passa despercebida no nosso dia a dia. Alguns deles solicitam automaticamente o update, ou pelo menos possuem uma opção de verificação em seu menu de configurações. Mas ainda assim é preciso ficar atento na hora de atualizá-los. Um grande exemplo é o Flash Player, da Adobe, que sempre recebe atualizações de emergência devido a descoberta de novas vulnerabilidades.

Se você usar muitos softwares, uma dica é definir lembretes para verificar se há novas atualizações disponíveis – algo que você pode fazer até mesmo no Agendador de Tarefas do Windows ou em qualquer outro aplicativo de gerenciamento de sua preferência.

3. Reinicie seu computador com mais frequência

Atualmente, é comum que as pessoas não tenham tempo para nada (ou pensem que não têm), e por isso tarefas simples, como desligar ou reiniciar um computador, podem parecer um aborrecimento. Ocasionalmente, é preciso reiniciar a máquina para corrigir alguns problemas. Basta você deixar o PC ligado por dias ou até mesmo semanas para notar que o sistema se torna mais lento. Isso sem mencionar o fato de muitas atualizações importantes precisarem de uma reinicialização para funcionar corretamente (o que nos leva de volta ao item anterior).

reiniciar

4. Cuidado com as suas fontes de downloads

Essa dica não é exclusiva para o Windows. Na verdade, isso se aplica a qualquer sistema operacional. É preciso sempre ter o cuidado de checar e fazer uma boa pesquisa antes de sair baixando programas por aí. Obter o software de uma fonte confiável é crucial. Além disso, é muito importante duvidar sempre de anexos de e-mail, anúncios, pop-ups e outras fontes potencialmente prejudiciais de arquivos maliciosos.

Em relação aos e-mails, alguns cuidados simples podem ser tomados para evitar ataques de cibercriminosos. Não abra aquelas mensagens que sejam de um destinatário desconhecido e verifique o remetente do e-mail. Arquivos baixados automaticamente ou pedidos de download desnecessários devem ser evitados. Também não execute arquivos não solicitados.

Hoje em dia, devemos desconfiar até mesmo dos resultados de busca do Google. Recentemente, pesquisadores de segurança descobriram que os bandidos estão aprimorando suas formas de ataque, investindo também no page-ranking dos sites falsos, ou seja, na classificação dessas páginas em buscadores como o Google. Ao fazer com que o link falso apareça logo nos primeiros resultados, os golpistas acabam aumentando o número de vítimas.

5. Preste atenção durante a instalação dos programas

Depois de escolher uma fonte confiável para realizar o download de um software, não pense que seu trabalho de inspeção está terminado. É muito importante acompanhar o processo de instalação para evitar surpresas indesejadas no final da operação.

Em primeiro lugar, lembre-se de escolher a forma avançada de instalação de um programa em vez da opção padrão – que geralmente instala tudo sem pedir nossa permissão, ao contrário da opção avançada, na qual podemos escolher o que desejamos instalar no computador. Em seguida, não clique continuamente nas opções "Próximo", "Next" ou "Avançar" durante o processo de instalação. É preciso levar em conta o que está escrito na tela antes de prosseguir. Ao avançar essas etapas, você estará dizendo "sim" para tudo e isso pode significar o download de programas aleatórios, barras de ferramentas estranhas no seu navegador e outras ferramentas sem utilidade que você não faz a menor ideia de como foram parar no seu computador.

Instalação

6. Crie pontos de restauração

Os pontos de restauração são essenciais na hora de instalar novas atualizações, programas ou fazer alterações no sistema do seu computador. Se algo der errado, você será capaz de restaurar arquivos do sistema do computador para “voltar no tempo”. E quanto mais perto esse ponto de recuperação estiver do período atual, melhor.

Um ponto de restauração não serve como backup para arquivos pessoais, que podem não estar mais disponíveis após restaurar o computador caso você o tenha apagado ou em caso de danos ao arquivo. Restaurar o sistema para recuperar o arquivo não vai adiantar. Um ponto interessante é que o Windows cria pontos de restauração sempre que uma grande atualização é feita no sistema. Assim, caso algo dê errado ou você não goste da nova versão, é possível retornar a um ponto específico antes do update.

7. Pense bem antes de usar ferramentas de manutenção desnecessárias

Limpeza de registros e desfragmentação costumavam ser palavras de ordem quando o assunto era acelerar um PC. Mas parece que finalmente estamos começando a superar essa fase ao descobrir que esses procedimentos podem não ser tão bons quanto parecem. Muitas vezes, o uso dessas ferramentas pode se voltar contra nós e se tornar o processo prejudicial para nossas máquinas.

A verdade é que os usuários comuns não precisam se preocupar com a limpeza de registro do Windows, porque essa parte do sistema operacional não interfere na sua vida e raramente é necessário modificar alguma de suas configurações. Mas a parte mais preocupante de tudo é que esse hábito de limpeza excessiva pode resultar na eliminação de arquivos errados, que deveriam permanecer exatamente onde estavam.

Desfragmentação

No caso da desfragmentação, é preciso destacar que todos os sistemas operacionais Windows a partir da versão 7 desfragmentam automaticamente. Basicamente, uma desfragmentação reorganiza dados fragmentados para que os discos e unidades trabalhem de forma mais eficiente. Se você perceber que a fragmentação é superior a 10%, você pode executar uma verificação manual. Só não se esqueça que desfragmentar com muita frequência pode danificar o seu computador.

Além disso, lembre-se que SSDs jamais podem ser desfragmentados – o Windows normalmente desativa o desfragmentador de arquivos quando detecta que um SSD está presente. Fazer isso em um SSD coloca uma carga excessiva de transferência de dados no disco sólido e não aumenta significativamente o desempenho.

8. Faça uma limpeza nos arquivos

Se por um lado você não precisa se preocupar exaustivamente com ferramentas de limpeza de registros e desfragmentação, a regra é diferente quando falamos de arquivos. Muitas vezes esses arquivos são temporários, estão duplicados ou simplesmente não são mais úteis, portanto não há necessidade em mantê-los ocupando espaço no seu PC. Programas como o CCleaner podem ser de grande ajuda na hora de apagar do computador os registros de cookies, dados de backup e históricos de programas que deixam seu sistema mais lento.

9. Organize melhor seus arquivos

Aproveitando que o assunto é faxina de arquivos, uma ótima dica é começar a organizá-los melhor. Limpe seu desktop, crie um sistema de gerenciamento de arquivos e comece a desfrutar as vantagens de usar um PC sem lixo digital. Se você não sabe por onde começar essa organização, veja algumas dicas do Canaltech que podem deixar sua área de trabalho mais convidativa.

Desktop bagunçado

10. Configure backups automáticos

Só quem já perdeu dados importantes sentiu na pele a importância de ter uma cópia de segurança. Na prática, qualquer cópia de arquivos importantes num outro dispositivo de armazenamento já pode ser considerada como backup. Apesar da popularização desse termo, você já percebeu que é muito comum ignorarmos esse tipo de atitude?

A chave para garantir uma regularidade na execução dos nossos backups é a criação de cópias de segurança automáticas, tanto para a nuvem quanto para um disco rígido externo. Os sistemas operacionais mais modernos têm feito progressos no sentido de tornar o backup mais fácil e rápido com recursos como o Histórico de Arquivos, no Windows 8, equivalente ao Time Machine, ferramenta de backup integrado ao OS X.

Além disso, o serviço de armazenamento em nuvem OneDrive pode ser uma opção muito útil. Isso quer dizer que você não precisa necessariamente recorrer a softwares de terceiros para fazer backup de seus arquivos, pois existem diversas funções gratuitas de sincronização de arquivos e backup disponíveis no próprio Windows.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.