Para Microsoft, Windows 10 vai roubar usuários do Android

Por Redação | 02 de Março de 2015 às 17h45

iOS e Android são os campeões indiscutíveis quando o assunto é o mercado de celular, já que, juntos, concentram mais de 95% de todos os smartphones em operação. Em um distante terceiro lugar está a Microsoft que, no MWC 2015, fez questão de afirmar que pretende roubar boa parte dos usuários do Google com o Windows 10 em sua versão para smartphones.

O grande foco aqui são os mercados emergentes e, principalmente, os consumidores dos setores de baixo porte. São eles que, de acordo com o vice-presidente de vendas mobile da Microsoft, Chris Weber, possuem pouca fidelidade a marcas e sistemas e podem ser facilmente atraídos pelas vantagens do novo sistema operacional. Quem falou com ele foi o site Venture Beat.

Ele cita pesquisas internas para apoiar suas afirmações. Segundo eles, esse público compra dispositivos mais pelo preço do que pelas possibilidades. Quando estas duas alternativas se unem, porém, o usuário sempre vai optar pelo melhor custo benefício. E é aqui que o Windows 10 vai se sobressair, pois oferece funções de ponta menos nos celulares mais baratos.

E é aqui que a Microsoft planeja atacar onde mais dói, para o Google: a fragmentação de seu ecossistema. Segundo Weber, as mesmas pesquisas também apontaram duas como as maiores críticas aos smartphones com Android: os aparelhos mais baratos deixam a desejar e somente são parecidos com os de grande porte. Além disso, nem todos os aplicativos funcionam em todas as versões e dispositivos, gerando um mundo altamente fragmentado e, o que é ainda pior, pouco claro em termos de funcionalidade. Nada disso vai acontecer com o Windows 10, já que a companhia pretende não apenas ser clara sobre as possibilidades de cada aparelho como também permitir a integração de softwares entre computador, celular, tablets e outros equipamentos.

Por fim, vem a questão da segurança, que pode parar um fator secundário para os usuários comuns, mas também teria aparecido com destaque na pesquisa da Microsoft: a proteção às informações dos clientes em termos de APIs, com os desenvolvedores criando apps de forma integrada à criptografia do sistema operacional, e também em uma maior confiabilidade de sua plataforma de computação na nuvem e apps de pagamento.

As primeiras armas da Microsoft para esse fim já apareceram. Durante o Mobile World Congress, em Barcelona, a empresa anunciou os modelos Lumia 640 e 640 XL, com duas opções de tamanho de tela e configuração de médio porte, voltada para quem quer o melhor da tecnologia sem gastar muito. Os tão esperados dispositivos de topo de linha, porém, acabaram ficando para depois, possivelmente, após a chegada do Windows 10 propriamente dito.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!